"Ela perdeu o medo", diz mãe após filha ser vista roubando em MS

Mulher diz que filha de 12 anos usa drogas e furta para manter o vício



A mãe da menina flagrada ao furtar uma mercearia em Campo Grande, na tarde de terça-feira (7), disse que a filha é usuária de drogas e tem cometido delitos para sustentar o vício. Foi a quarta ocorrência envolvendo a jovem somente em 2012. A família afirma ter perdido o controle sobre a garota, mas diz estar lutando para vê-la livre do vício.

De acordo com a polícia, a menina tem 10 anos e por isso não pôde receber medida socioeducativa. A mãe diz que a garota tem 12 anos e vai completar 13 na próxima quinta-feira (9). A Polícia Civil informou que irá verificar os dados da ocorrência para descobrir o motivo da diferença de idade divulgada anteriormente.

?Pela idade dela, a polícia não pode fazer muita coisa. Ela perdeu o medo?, disse a mulher ao G1. ?Eu tenho que dar um jeito na minha filha, senão eu vou acabar perdendo ela?.

A mãe relata que trabalha em um frigorífico para sustentar a casa. Como tem que sair cedo, deixa as duas filhas mais novas sob os cuidados da mais velha, de 21 anos. A menina envolvida nos furtos é a caçula da família e vive com a mãe. Segundo a mulher, ela começou a mudar o comportamento quando parou de estudar, no segundo semestre de 2011.

No mesmo período, a família relata ter descoberto o vício ao encontrar uma porção de maconha entre as roupas da garota. ?Perdi o controle?, relata a mãe, que afirma ter entrado em pontos de vendas de drogas no bairro em busca da filha. Segundo ela, a partir de 2012 a situação complicou-se. A garota passou a levar eletrodomésticos e outros objetos de casa para trocar por drogas.

?Ela já estava fumando e depois a situação começou a complicar. Está acabando com as minhas coisas?, diz a mãe, ?Eu não estou mais aguentando. Não tenho condições de deixar a casa sozinha. Ela leva tudo?.

Também nesse ano, a menina começou a envolver-se em furtos para manter o vício. A mãe afirma que a filha já é usuária de pasta base de cocaína. ?Meu medo é ela furtar e depois virem atrás de mim. Eu não tenho condições de pagar?, relata.

Mudança

Mesmo diante dos problemas que a menina tem causado, a mãe afirma que não desiste de tentar fazer com que ela deixe o vício. ?Enquanto ela estiver viva eu tenho que lutar, eu tenho que fazer alguma coisa?, afirma.

A mulher conta que já pediu ajuda ao Conselho Tutelar para que fosse providenciada uma clínica de reabilitação ou instituição semelhante. A menina chegou a ser encaminhada para uma instituição para tratamento de dependentes químicos.

?Eu a entreguei na mão deles, mas ela não ficou nem um dia. Chegou aqui a pé com a mala na mão?, conta a mulher. Ela diz que tem medo de a filha ser morta em função de dívidas de drogas e até a ida para uma Unidade Educacional de Internação (Unei) serviria para evitar o pior, de acordo com a mãe. ?Eu prefiro vê-la presa a vê-la morta?, disse a mulher.

Outros furtos

Segundo a polícia, o flagrante aconteceu por volta das 4h30 de terça-feira, no Parque Lageado. A garota foi encontrada com uma sacola com R$ 173,00. A menina foi encaminhada para a delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga.

De acordo com a Polícia Civil, a menina teria envolvimento em outros três furtos desde o começo ano, todos na região do Parque Lageado.

O primeiro caso teria acontecido no dia 14 de janeiro, quando uma vizinha viu a menina pulando o muro de uma casa e carregando um notebook. Segundo os registros da Polícia Civil, a menina foi levada pela mãe à delegacia, depois que confessou ter levado o equipamento. À polícia, a garota disse que trocou o notebook por drogas.

No dia 30 de janeiro, ela teria participado de outro furto, desta vez de um telefone celular, juntamente com dois rapazes de 20 anos. No dia 2 de fevereiro, ela foi flagrada em ocorrência de furto de uma câmera e um notebook de uma mercearia.

Fonte: G1