Eleitores chegam de madrugada em fila do TRE para conseguir atendimento

Eleitores chegam de madrugada em fila do TRE para conseguir atendimento

Todos os dias são disponibilizadas 60 senhas de atendimento, mas a procura é grande e muitas pessoas chegam ao local às 3 horas da manhã

Utilizar serviços que são direito do consumidor está causando uma tremenda dor de cabeça no teresinense que deseja resolver pendências junto à Justiça Eleitoral. Para conseguir atendimento no Cartório Eleitoral, localizado no cruzamento das Ruas Coelho Rodrigues e 24 de Janeiro, os cidadãos precisam chegar de madrugada para disputar uma das 60 senhas de atendimento entregues diariamente pelo órgão. O transtorno não está deixando os eleitores satisfeitos.

Todos os dias, a fila começa a se formar aproximadamente às três horas da manhã e a todo instante chegam mais pessoas. O motorista Carlos Kennedy percorreu mais de 1.000 quilômetros para tirar a 2ª via do Título Eleitoral e se surpreendeu com o tamanho da fila. “Já havia sido informado que as filas eram grandes e vim de madrugada. Mas não imaginava que era desse jeito.

Cheguei quatro da manhã e já tinha gente esperando”, diz. Além do desconforto de se deslocar de madrugada para o Centro da cidade e esperar horas ao relento, o cidadão coloca a vida em risco ao disputar a área com moradores de rua, viciados em drogas e menores infratores. O risco de assalto é iminente e, desamparada, a população não tem a quem recorrer.

A reportagem do Jornal Meio Norte acompanhou parte do andamento da fila. Às 4h30 da manhã, dez pessoas já estavam no local. Meia hora depois, o número havia dobrado.

Aproximadamente às 5h30 - horário que há mais ônibus circulando e, consequentemente, permite o deslocamento de mais pessoas - cerca de 40 pessoas se aglomeravam em frente ao TRE.

Às 6h da manhã, a fila dobrava o quarteirão e se aproximava da Praça João Luís Ferreira, não havendo mais vagas disponíveis para atender as 60 senhas distribuídas pelo Cartório Eleitoral.

“Hoje é um dia bom. Ontem cheguei aqui seis horas da manhã e já tinha mais de 70 pessoas na fila. Por isso, não quis arriscar e cheguei às 3h. Neste caso, foi melhor pecar por pontualidade do que por atraso”, relata o estudante Ávila Miqueias. Ele foi o primeiro a chegar na fila na madrugada de quinta-feira.

O título de eleitor está entre os documentos mais importantes. Além de comprovar que o cidadão está apto a votar, o título e os comprovantes de votação são exigidos em várias situações, como na contratação para trabalhos formais, tirar ou renovar documentos como passaporte ou CPF, conseguir financiamentos, efetuar matrícula em colégios e faculdades, vender imóveis, participar em concursos e assumir cargos públicos.

A sistemática de atendimento do Tribunal Regional Eleitoral desagrada a muitos. “Tudo nesse Brasil é difícil para os cidadãos. Sempre é a maior burocracia, tudo é uma fila gigantesca.

Para conseguir um atendimento simples, precisamos madrugar e arriscar a vida para tentar receber uma fila de atendimento”, desabafa a auxiliar de costureira Ana Ruth. E o atendimento, que deveria começar às 7h da manhã, iniciou cerca de 30 minutos depois.

O TRE adotou o sistema de senhas para poder atender os eleitores de forma satisfatória. Como o órgão funciona das 7h ao meio-dia, a distribuição de passes se faz necessária para que todos os contemplados sejam atendidos no mesmo dia.

“Só não entendi porque o Cartório não adota o sistema de agendamento eletrônico”, reclamou um dos eleitores que estavam na fila. O Jornal Meio Norte procurou o Tribunal Regional Eleitoral através das linhas telefônicas disponibilizadas pelo órgão, mas não obteve sucesso.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: OLEGÁRIO BORGES