Em blitz da PM, motoqueiro é atropelado por motorista embriagado

Nilvan dos Santos ia embora quando foi atingido por Kombi e morreu no local.

Um homem de 41 anos morreu atropelado, na madrugada deste domingo (12), em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Nilvan Faustino dos Santos tinha sido parado em uma blitz da Rádio Patrulha que estava montada na Avenida Agamenon Magalhães, na altura do número 505, no bairro de Cavaleiro. Após apresentar a documentação e ser liberado para seguir caminho, ele foi atingido pelo motorista de uma Kombi e morreu no local.

(Correção: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que a blitz onde ocorreram o acidente e a morte era da Operação Lei Seca. Na verdade, tratava-se de uma blitz da PM/Rádio Patrulha. A informação foi corrigida às 16h01, horário de Brasília).

O condutor da Kombi ainda tentou fugir, mas terminou detido em flagrante pelos policiais militares. Segundo os PMs, ele afirmou ter ingerido 10 cervejas durante a noite. O motorista foi levado para a delegacia de Jaboatão Centro, onde se negou a fazer o teste do bafômetro. Ele foi autuado por omissão de socorro, por dirigir embriagado e por homicídio.

"No veículo, havia uma faixa indicando que ele era supostamente utilizado como uma Kombi terceirizada pelos Correios. A gente suspeita que o motorista utilizava a faixa para fugir das blitze, já que ele não apresentou nenhum documento confirmando a ligação com os Correios", disse o delegado de plantão que atendeu a ocorrência, Edinaldo Araújo.

Araújo informou ainda que a Kombi estava com IPVA atrasado desde 2010. Foi fixada uma fiança de R$ 10 mil e o homem deve ser transferido para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima. O inquérito será encaminhado para a delegacia de Cavaleiro. A delegada responsável será Beatriz Leite.

O corpo de Nilvan dos Santos foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), no Recife, de onde foi liberado no final da manhã para as cerimônias fúnebres. "A prisão não traz meu irmão de volta, mas é um tipo de consolo por saber que alguém que bebe e dirige, alguém que insiste em não respeitar as leis, foi preso", lamenta Noélia Freitas, irmã da vítima.

Fonte: G1