Em protesto, avô de criança morta no Rio desabafa: "parece um pesadelo"

Amigos e familiares fizeram uma homenagem ao menino neste sábado (2)

Emocionado, o avô do menino Kayo da Silva Costa, de 8 anos, morto em um tiroteio durante uma tentativa de resgate de presos no Fórum de Bangu, na Zona Oeste do Rio, fez uma homenagem ao neto durante protesto na manhã deste sábado (2). Moradores do bairro e amigos da vítima - que sonhava em ser jogador de futebol -, também participaram do ato.


Em protesto, avô de criança morta no Rio desabafa:

Juamir Farias do Rosário disse que tudo "parece um pesadelo". Ele era um menino alegre, cheio de sonhos. Está muito difícil para a família. Temos que entregar nas mãos de Deus. Parece um pesadelo", desabafou.

Cerca de 50 pessoas iniciaram a homenagem com uma caminhada em frente à Igreja de Santa Cecília, na Largo do Bangu, em direção ao Fórum por volta de 9h40. Antes de percorrerem o trajeto, eles rezaram um Pai Nosso e uma Ave Maria para o menino.

"Esse caso do Kayo é um dos casos que nós temos que aclamar por segurança e justiça. Já tiveram outros casos, como o do menino João Hélio. Isso tem que mudar, não pode ficar desse jeito. A mudança tem que partir dos nossos governantes para poder chegar ao povo e a gente melhorar a nossa situação. Precisamos de uma resposta o mais rápido possível", declarou o comerciante Cláudio Dionízio, morador de Bangu.

Tiro mata criança e PM e fere mais dois

Kayo e o terceiro sargento Alexandre Rodrigues de Oliveira, de 40 anos, morreram após uma tentativa de resgate de presos no fórum, na quinta-feira (31). Outro PM e uma mulher foram baleados.

A mulher, identificada como Maria José da Silveira recebeu alta. A camareira foi atingida por estilhaços de bala no abdômen, na perna e no nariz. "Eu estava sentada na frente e aí o ônibus parou no sinal e eu vi aqueles dois homens saindo do carro, puxando aquela arma grandona e atirando que nem uns loucos", contou Maria.

Já o agente Eduardo Gonçalves levou um tiro no tórax. Ele foi operado, mas ainda neste sábado, seguia internado no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo. O estado de saúde do policial ainda inspirava cuidados.

Enterro

Os corpos de Kayo e Alexandre foram enterrados na sexta-feira (1º). Além de colegas do futsal do menino, também foram ao sepultamento colegas da turma da terceira série da Escola Municipal Bangu.

Operação com nove presos

Policiais militares do 14º BPM (Bangu), com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), realizaram uma operação na sexta-feira (1º) nas favelas Vila Vintém, Curral das Éguas, Minha Deusa e Sete Sete, todos na Zona Oeste do Rio, para prender os responsáveis pelo crime. Ao todo, nove pessoas foram presas.

Fonte: G1