Empresas de ônibus buscam alternativas para minimizar impactos ambientais

Empresas de ônibus buscam alternativas para minimizar impactos ambientais

Empresários do setor de transporte urbano de Teresina consolidam ações de participação em um mundo ambientalmente equilibrado.

Poluindo menos e compensando o meio ambiente. É assim que as empresas de transporte rodoviário de passageiros de Teresina estão buscando alternativas para reduzir a emissão de poluentes durante o trajeto percorrido por 430 ônibus na capital. O que nem todos sabem é que a preocupação em minimizar os impactos ambientais já virou regra no setor e ainda rende prêmios para aquelas empresas que conseguem consolidar sua participação em um mundo ambientalmente equilibrado.

O diretor do Sest/Senat (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem em Transporte), Antônio Leitão, explica que atualmente mais de 87% da frota de ônibus que circula na cidade está dentro dos padrões indicados pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). Em 1997, quando foi lançado o Programa Melhoria da Qualidade do Ar, apenas 62% dos veículos estavam adequados ecologicamente. ?A meta do Conama é atingir 95% dos ônibus. Com a renovação da frota, que vem ocorrendo recentemente, atingiremos esse índice em até dois anos?, acredita.

A próxima etapa no incentivo à preservação ambiental será a compensação dos poluentes emitidos pelos ônibus através do plantio de árvores. ?Não é obrigatório, mas pretendemos colocar em prática esse projeto nos próximos anos?, adianta Antônio Leitão, acrescentando que os próprios empresários tomam a iniciativa de colaborar com ações como a ampliação da área verde e destino adequado de baterias e pneus. ?Não é apenas pela economia que esse cuidado gera mas também pela consciência ecológica e de cidadania?, pontua.

O monitoramento do nível de emissão de gases poluentes do setor rodoviário no Piauí é uma das metas do DESPOLUIR - Programa Ambiental do Transporte da Confederação Nacional do Transporte ? CNT, lançado em 2007. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Teresina, Clóvis Júnior, a atenção ao meio ambiente tem crescido significativamente nas companhias rodoviárias. ?O interesse no aperfeiçoamento também se deve em parte aos prêmios e à própria publicidade positiva que esse tipo de iniciativa gera?, diz.

A fiscalização das companhias é feita regularmente pelas Secretarias Municipal e Estadual de Meio Ambiente (Semam e Semar), em parceira com a Federação dos Transportes do Ceará, Piauí e Maranhão - Cepimar e o incentivo do Setut (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina). Edilson Amorim é técnico do DESPOLUIR e opera há quatro anos um opacímetro, o equipamento que analisa as partículas emitidas na atmosfera e verifica a situação de regulagem do motor. ?Os novos ônibus e o gerenciamento eletrônico são alguns dos responsáveis pela melhora na qualidade dos gases despejados pelos veículos?, frisa.

Fazendo a Cidade Verde

Transformar os empresários e trabalhadores de transporte em multiplicadores da educação ambiental na sociedade é uma das metas da empresa de ônibus Cidade Verde. Os projetos relacionados a meio ambiente na companhia são executados desde 1992. O impacto de cada um deles foi aumentando com o tempo, de acordo com o crescimento da preocupação ambiental pela opinião pública e a percepção do retorno positivo que esse tipo de iniciativa causa na comunidade. A ligação com os moradores do bairro Tabuleta, onde a empresa é instalada, também é forte.

João Rodrigues, responsável pelo setor de Recursos Humanos da Cidade Verde, lembra que a empresa executa ações como a distribuição de mudas de árvore. ?Em parceria com órgãos como a Semam e o Ibama, distribuímos mudas, levamos as crianças da região para visitar parques ambientais e temos em troca o respeito e carinho da população?, ressalta.

A imagem típica de uma garagem de ônibus, cinzenta e sem beleza, é esquecida na entrada da empresa. Plantas coloridas ornamentam a fachada e dentro o espaço é ocupado por um pomar. ?Além de diminuir os impactos ambientais da circulação de ônibus na cidade, focamos na melhoria da qualidade de vida dos funcionários?, reitera Rodrigues.

O Poder da água

Toda a água usada para lavar os ônibus da Transcol é reutilizada na lavagem das peças. A empresa possui uma estação de tratamento, e a meta para este ano é fazer o recolhimento da água da chuva. Segundo Pablo Guevara, coordenador de projetos ambientais da Transcol, além da reutilização, a água que sai dos portões da empresa também é tratada para diminuir a quantidade de poluentes jogados no esgoto.

?Utilizamos o biodiesel como combustível e fazemos a manutenção preventiva, já que veículos desregulados gastam mais e poluem mais?, explica Pablo. Ele assume que o trabalho é de ?beija-flor?: ?Tentamos conscientizar os colaboradores a passarem adiante essas iniciativas de preservação e continuamos pensando em ações para sermos uma empresa de transporte sustentável?, pontua.

Despoluindo o ar

A frota da Taguatur - uma das vencedoras do Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar, promovido pelo Sest/Senat, Cepimar e Setut ? está 100% de acordo com os padrões exigidos pelos órgãos ambientais. A preocupação da empresa vai além do cumprimento da lei. O encarregado de Tráfego, Elton Jader, ressalta que o consumo de combustível de todos os motoristas é acompanhado. Aqueles colaboradores que possuem números mais irregulares são chamados para fazerem cursos de reciclagem e direção econômica. ?A chance de colocar menos fuligem na atmosfera também é menor com esse cuidado? diz.

Ferro, alumínio e molas que não são mais utilizados possuem destinação própria, sendo enviados para empresas especializadas. O mesmo acontece com o óleo queimado dos veículos, que antes de ser levado é armazenado em um tanque interno. ?As carcaças de pneu têm destinação própria e são recicladas, assim como o papel, já que espalhamos caixas pela garagem para coletá-lo. O papel, inclusive, é doado para a Associação dos Cegos?, ressalta Eva Leonília, coordenadora de Recursos Humanos da Transcol.



O encarregado de Tráfego, Elton Jader e Eva Leonília, coordenadora de Recursos Humanos da Transcol



Biodiesel utilizado na empresa Transcol



Máquina de lavagem econômica dos ônibus



Funcionário realizada lavagem dos ônibus



Edilson Amorim, técnico do DESPOLUIR, opera um opacímetro



Pneus velhos são armazenados e enviados para empresa especializada



Funcionários da Cidade Verde no pomar da empresa



Antônio Leitão, diretor do Sest Senat, fala do DESPOLUIR



Pablo Guevara, coordenador de projetos ambientais da Transcol, mostra os prêmios que a empresa já ganhou pela preservação ambiental

Com colaboração da repórter Sávia Barreto.

Fonte: Tatiara de França, Jornal Meio Norte