Enem abre inscrições; veja perguntas e respostas sobre ele

MEC espera que 6 milhões de estudantes se inscrevam no exame deste ano

Está dada a largada para uma nova edição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). As inscrições, que começam nesta segunda-feira (23), às 10h, vão mobilizar milhões de estudantes de todo o país.

O Enem movimenta 400 mil funcionários - desde trabalhadores da gráfica até policiais federais que vão escoltar as provas. São 140 mil salas de aplicação distribuídas por quase 1.600 cidades.

Veja abaixo perguntas e respostas sobre o exame:

1- Quando terminam as inscrições?

Os interessados podem se inscrever de hoje, dia 23, até as 23h59 do dia 10 de junho. A taxa de inscrição custa R$ 35.

2- Como faço para me inscrever?

Os pedidos são feitos pela internet no site especial do Enem. Em 2010, 4,6 milhões de estudantes se cadastraram no exame e nesse ano a expectativa é que sejam 6 milhões de candidatos. Como é um exame muito grande, as inscrições estão restritas apenas à internet.

3- Quando será a prova?

O exame será nos dias 22 e 23 de outubro. No primeiro dia, o Enem começa às 13h e termina às 17h30. Já no segundo dia, a prova também começa às 13h, mas termina às 18h30.

4- Como será a prova?

Nada mudou no formato do exame. São 180 questões de múltipla escolha, distribuídas em dois dias. No primeiro dia, os alunos devem responder a 90 questões, 45 de ciências humanas (história e geografia) e 45 de ciências da natureza (biologia, física e química).

No domingo, segundo dia de prova, serão 90 perguntas, 45 de linguagens (português, literatura e idioma estrangeiro); e outras 45 de matemática. Os estudantes também terão que redigir uma redação.

5- Ano passado proibiram o uso de lápis e borracha. Esse ano poderei usá-los na prova?

Esses materiais continuam proibidos. A justificativa do Inep (órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem) para a proibição é que alguns estudantes podem usar os objetos indevidamente, para colar ou fraudar a prova..

6- E relógio? Eu vou poder usar?

O relógio também continua vetado. Neste ano, entretanto, todas as 140 mil salas de aplicação receberão um marcador de tempo para que os candidatos possam controlar o horário da prova.

7- Em 2010, 20 mil provas do caderno amarelo tiveram problemas de impressão e 2.800 não foram substituídas. Terei tempo a mais para conferir se minha prova não contém erros vindos da gráfica?

Não. O Inep entende que conferir a prova antes de começá-la é uma regra que todo estudante deveria seguir sem haver tempo extra para isso. O edital traz uma recomendação explícita para que o candidato use os primeiros minutos para conferir a prova. Além disso, a gráfica (que é a mesma da última edição do Enem) vai ter que passar pelo controle de qualidade do Inmetro. A impressão da prova também será monitorada eletronicamente.

8-Se eu não concordar com o resultado, vou poder pedir recurso?

Pedir recurso e revisão de prova não será permitido. No entanto, o MEC (Ministério da Educação) criou uma regra caso os dois corretores que revisam as provas deem notas muito díspares. Se a diferença do resultado das duas correções for maior que 300 pontos, um terceiro corretor será chamado e a nota que ele der será a válida.

9- O ministro Fernando Haddad havia dito que o Enem terá duas edições no ano. Vai haver outra prova até o final do ano?

Não, pois não há tempo de preparar um novo Enem, e o banco de itens do Inep não tem volume suficiente para tal. Isso vai acontecer em 2012, provavelmente. O ministério anunciou que, no início do ano que vem, haverá uma nova aplicação do exame, em 28 e 29 de abril. A segunda edição do Enem seria em novembro.

10- Nos últimos anos, o Enem teve muitos problemas ? a prova foi furtada em 2009 e cadernos tiveram erros de impressão em 2010. Que tipo de medidas o MEC tomou para não repetir esses erros?

Esse ano, o MEC criou uma força-tarefa para evitar falhas. Além dos parceiros tradicionais, como agências de segurança (Polícia Federal, polícias militares e Forças Armadas). O MEC contratou uma empresa de gestão de riscos e o Inmetro, para que este faça uma certificação na gráfica que mais uma vez vai imprimir as provas do Enem.

Fonte: R7, www.r7.com