"Era só para dormir", diz garota de 13 anos que deu água com veneno à mãe

Vítima sobreviveu e cobra punição: "Quero que a justiça seja feita"

A garota de 13 anos suspeita de tentar matar a mãe envenenada, em Goiânia, confessou na delegacia que colocou veneno na água, mas afirmou que não tinha a intenção de matar a mulher, que sobreviveu. ?Não era para ela morrer não. Era só para dormir. Não queria que ela morresse?, afirmou a adolescente. Além dela, uma amiga de 14 anos também foi apreendida pelo crime.



O envenenamento aconteceu no último domingo (20). A mãe, de 34 anos, que não quis se identificar, acredita que a filha a tentou envenenar porque a proibiu de ir a uma festa no último fim de semana. A garota foi apreendida pela Polícia Militar no última quarta-feira (23), na casa de um parente. Ao ser abordada por policiais, a adolescente confessou que cometeu o crime.

Na quinta-feira (24), o Juizado da Infância e Juventude de Goiânia encaminhou à Justiça um pedido de internação das duas adolescentes. ?Nós avaliamos como um ato infracional grave. As adolescentes precisam ser trabalhadas, precisam ser recolhidas para ter um acompanhamento dentro de uma unidade de internação, um acompanhamento psicológico, para que depois tomem um rumo na vida?, afirma a promotora da Infância e Juventude Heliana Godói.

A vítima concorda com a punição às adolescentes. ?É filha minha, errou, tem que pagar. Eu não quero é que fique impune porque é de menor e pode sair matando. Isso não, eu quero é que a justiça seja feita?, afirma.

Para a psicóloga Purificacion Martins, o comportamento revela traços de transtorno antissocial. ?Se sentiu frustrada quando a mãe não a deixa ir na festa. O que ela faz? Ela tenta se vingar?. Ainda de acordo com a psicóloga, o perfil das jovens demonstra ainda falta de afeto. ?Não existe amor dentro deles, existe o interesse em obter o que lhes dá prazer?, completa.

Envenenamento

Segundo a vítima, o fato ocorreu quando a garota colocou um tipo de veneno usado para matar ratos dentro de uma garrafa de água. ?Bebi dois goles de água. No terceiro, eu senti um pedaço de comprimido na minha boca. Foi quando eu cuspi a água e percebi que a água estava cor de rosa. Aí, eu pensei gente, eu não acredito que ela colocou alguma coisa na minha garrafa para eu dormir, não acredito?. Logo depois, ela encontrou veneno escondido no guarda-roupa da filha.

De acordo com a mãe, a garota não aparecia em casa desde o dia do suposto envenenamento. Na noite do último dia 23, a mulher foi avisada que a adolescente estava na casa de um parente distante e acionou a PM.

Na abordagem, a adolescente contou aos militares que tentou matar a mãe. ?Uma frieza extrema. Nos meus 29 anos de trabalho, eu nunca vi nada igual, alguém fazer contra a mãe?, relatou o sargento Cícero José Lima.

Com as duas garotas, os policiais ainda apreenderam um celular que seria roubado. Elas foram encaminhadas para o 20º Distrito Policial, e depois transferidas à Delegacia de Apuração de Atos Infracionais de Goiânia (Depai).

A mulher, que tem mais quatro filhos, afirma que nunca desconfiou que a adolescente pudesse fazer isso. No entanto, ela espera que a menina seja responsabilizada pelo que cometeu. ?Eu quero que ela pague pelo que ela fez. Ela e a amiga dela. Decepção, porque quem me conhece sabe que eu nunca fui má com ela. O que eu pude dar pra ela, eu dei?, lamenta.

Fonte: G1