Essencial para o escoamento da produção da região Sul, Transcerrados terá início em 2012

Essencial para o escoamento da produção da região Sul, Transcerrados terá início em 2012

A obra será feita através de uma parceria entre governo e iniciativa privada.

A região Sul do Piauí é um dos principais polos econômicos do Estado e se destaca principalmente pela produção de grãos e oleaginosas. No entanto, o escoamento de toda a produção do polo Uruçuí-Gurgueia, região onde se concentra a maior parte da produção do Estado, é realizado por uma estrada vicinal.

São ao todo 330km de estrada de chão que liga os municípios de Sebastião Leal, no entroncamento com a PI- 247, e Monte Alegre, no entroncamento da PI-254.

A pavimentação da Rodovia Transcerrados, assim como é chamada, ainda é um projeto do governo e sonho para os produtores locais, mas que já tem previsão para se concretizar. Ainda este mês será dado início à primeira etapa da licitação da obra que será construída através da Parceria Público- Privada (PPP).

Trata-se de uma união de forças entre os setores público e privado, em troca de recebimento de parte do pagamento do poder público e parte dos usuários.

“Como o Estado não tem recursos para investimento e o parceiro privado tem, ele faz uma parceria através de licitação e nesse caso paga uma parte dessa infraestrutura e o Estado banca o pagamento a longo prazo”, explica Viviane Moura, diretora da Unidade de PPPs no Piauí.

Esse modelo de financiamento permitirá ao governo uma folga no orçamento anual, dando um prazo de 25 anos para pagamento da obra. E o setor privado, por sua vez, proporcionará outros benefícios ao longo desse período.

“Por 25 anos você não vai ver buracos na pista, vai ter serviços de ambulância, oficinas, serviços de guincho. O parceiro privado vai implantar a rodovia, vai manter, operar e conservar”, conta Viviane Moura.

Para o secretário de Planejamento do Estado, Sérgio Miranda, a Transcerrados é uma obra que deve gerar grande impacto na economia do Piauí. “Com a rodovia se reduz o custo de frete e aumenta a velocidade do escoamento. A rodovia viabilizará também a agregação de valor aos produtos lá produzidos e estimula a implantação de indústrias para beneficiamento da produção”, afirma.

Com a abertura da Consulta Pública no mês de outubro, a licitação da obra deve ter início ainda no primeiro trimestre de 2012 e a pavimentação deve começar o quanto antes. A obra que será realizada em três etapas terá prazo máximo de dois anos para ser concluída.

Fonte: Virgínia Santos