Estado retoma serviços de urgência e emergência em plano do governo

O Governo ficará responsável por 50% da demanda

Pautado na atenção à saúde do servidor público, o governador Wellington Dias (PT) assinou decreto impondo a co-participação em serviços de urgência e emergência no PLAMTA. O procedimento que não era oferecido até o ano passado constitui uma nova realidade no sistema, como indicou o governador.

“Quem atende no setor sabe que tínhamos até quatro meses de atraso, fizemos um cálculo atuarial como forma de suportar, nenhum Estado brasileiro, nenhum plano de saúde querem atender urgência e nós estamos trabalhando para garantir esse atendimento no Piauí, provavelmente o único Estado brasileiro, vamos fazer como contrapartida do servidor”, disse.

De acordo com o Chefe do Executivo, os planos que atendem o servidor público não terão qualquer alteração, destacando os reflexos positivos que a medida terá na saúde piauiense. “O IAPEP e o PLAMTA zero de alteração, a área de urgência e emergência está parada desde o final do ano passado e agora estamos reabrindo e para sustentar reabrindo partilhando despesas”, explicou.

Agora, o Governo ficará responsável por 50% da demanda, assim a medida beneficia as pessoas que pagavam integralmente pelo serviço, que até então não era coberto pelo Estado. Tal procedimento não atinge cirurgias e internações, que continuam com seus custos totalmente cobertos pelo plano de saúde estadual.

Em tal âmbito, a diretora-geral do Iaspi, Daniele Aita, apontou que os usuários não precisam ficar preocupados porque o Plamta continua cobrindo 100% dos valores de cirurgias e exames. “A co-participação de 50% é referente apenas a consultas e exames de urgência e emergência. É importante lembrar que os valores dos serviços médicos e hospitalares, da planilha do seguro de saúde estadual são menores do que os cobrados na rede particular ”, complementou.

Fonte: Francy Teixeira