Estradas federais registram mais de 208 mortes no PI

Estradas federais registram mais de 208 mortes no PI

Os dados são da Polícia Rodoviária Federal, que registrou também 2.583 acidentes no Piauí até a primeira quinzena de dezembro.

A Polícia Rodoviária Federal registrou até a primeira quinzena de dezembro deste ano um total de 2.583 acidentes, com 208 mortes, nas estradas federais que cortam o Piauí. Do total de óbitos, aqueles que envolvem motocicletas correspondem a 51%. O número bastante alto apresentou um crescimento em relação ao ano de 2011, quando as mortes por acidentes de motocicletas corresponderam a 43%.

Dados da PRF revelam que a população jovem é que mais morre em acidentes envolvendo motocicletas, ultrapassando o percentual de 50% dos óbitos. Já quando analisados os dados por sexo, percebe-se a predominância dos homens, no número de mortes envolvendo esse veículo. Eles correspondem a cerca de 90% dos óbitos.

?Grande parte das causas de morte destas pessoas é a imprudência. Muitas pessoas insistem em dirigir sem carteira de habilitação, inclusive menores. Nós sabemos que a direção exige uma preparação e se até quem passou por esse processo e hoje é habilitado ainda comete irregularidades e leva riscos ao trânsito, imagine quem não possui habilitação para pilotar?, disse o chefe do Núcleo de Comunicação da PRF, inspetor Raimundo Rameiro.

Segundo ele, há também uma necessidade de os demais motoristas respeitarem os motociclistas, no trânsito. ?Isso é uma exigência inclusive presente no Código de Trânsito Brasileiro. Os veículos maiores devem respeitar os menores e todos devem respeitar os pedestres?, argumentou.

Depois dos condutores de motos, os maiores envolvidos em mortes no trânsito são os condutores de automóveis.

Estes, apesar de se envolverem em mais acidentes do que os motociclistas, deixam menos mortes no trânsito. Em 2012, até agora, foram 1.552 acidentes, com 51 mortes. O número de feridos em acidentes envolvendo motocicletas também é maior do que aqueles que envolvem carros. No primeiro caso foram 829 e no segundo foram 352.

Os tipos de acidentes que mais resultam em óbito no Estado são colisão frontal, com 48 mortes, seguido de colisão transversal, com 31 mortes.

Fonte: Pollyanna Carvalho