Estruturação de hospitais regionais deverá desafogar HUT

A proposta é a estruturação de hospitais regionais do Estado

Em audiência pública realizada na manhã de terça-feira (12), na Câmara Municipal de Teresina, foi encontrada uma medida para acabar com a superlotação do Hospital de Urgência de Teresina (HUT). A proposta é a estruturação de hospitais regionais do Estado.

A iniciativa foi proposta pela vereadora Teresa Brito, que convidou os diretores dos hospitais de Teresina, a Secretaria Estadual de Saúde e Ordem dos Advogados do Piauí. Com a redução em 30% da capacidade total de atendimento, o HUT se encontra superlotado, situação que coloca em risco a vida da população.

Durante a audiência, o superintendente de assistência hospitalar da Secretaria Estadual de Saúde, coronel Gerardo Rebelo, garantiu que a estruturação dos hospitais regionais do Estado pode evitar superlotação, tanto do HUT quanto dos demais centros de saúde da capital. “O secretário de Saúde, Francisco Costa, está trabalhando na compra de equipamentos para os hospitais regionais com o objetivo de desafogar os centros de saúde de Teresina. Em breve, teremos uma melhoria significativa nesse atendimento”, informa Gerardo Rebelo.

Para Teresa Brito, presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, a audiência pública foi para ser repensado o bem-estar dos pacientes que necessitam de atendimentos em pronto-socorro em Teresina.

“Convocamos aqui representantes do HU, do Getúlio Vargas e toda a rede municipal, para buscar um entendimento fazendo com que os pacientes do HUT sejam redistribuídos. Evitando que eles não fiquem jogados pelos corredores em macas e sofrendo as consequências da superlotação.

Então, a maior preocupação é que vidas sejam de fato salvas e redistribuir os pacientes, evitando a superlotação e atender bem os pacientes”, ressalta.

Já a OAB, através da presidente da Comissão de Direito à Saúde, Rubenita Lessa, compreende as problemáticas que provocam a superlotação do HUT e garante que a entidade fará valer os direitos constitucionais relacionados à saúde no Estado.

“A comissão cobra, exercendo seu papel enquanto OAB, através da exigência do cumprimento da constituição de saúde, fazendo com que o direito seja de fato efetivado. Já estamos cientes dos problemas que provocam a superlotação do HUT, um deles é a estrutura ultrapassada em vista ao número de habitantes, que vem crescendo não só em Teresina, mas em todo o Estado. Além disso, também deve ocorrer a implementação de maiores serviços nos hospitais regionais, temos 11 e eles não funcionam como deveriam funcionar e então sobrecarrega o HUT”, esclarece Rubenita Lessa.

Reforma do Hospital de Urgência está em 20%

A primeira etapa da reforma e ampliação Pronto Atendimento do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), que iniciou no início de abril, já está em 20%. Para a direção do HUT, a previsão é que seja concluída em menos de seis meses. Enquanto isso, os atendimentos estão ocorrendo na recepção da administração, que sofreu adaptações para tal.

Na audiência, o diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, também destacou os problemas que geram a superlotação do hospital.

“A superlotação do HUT é por conta da demanda da população das cidades interioranas, que são atendidas aqui. Só para se ter ideia do total, 56% dos pacientes são de outros municípios e apenas 30% são de Teresina. O ideal seria que outros hospitais en-trem com o apoio a suprir as necessidades dessa demanda”, explica.

Fonte: Márcia Gabriele