Estudante agredido por PM em Goiânia durante protesto deixa a UTI

Segundo o boletim médico do hospital, o estudante passa bem

O estudante agredido por um capitão da Polícia Militar durante o protesto do último dia 28, em Goiânia (GO), deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), nesta segunda-feira (8). Mateus Ferreira da Silva, 33 anos, está em um leito da enfermaria e já consegue conversar.

Segundo o boletim médico do hospital, o estudante “encontra-se estável, consciente, orientado, verbalizando e respirando de forma espontânea”. A unidade informa também que o manifestante é acompanhado no local pela equipe de neurocirurgia e não há previsão da realização de novas cirurgias para o rapaz.

Estudante agredido por PM em Goiânia deixa a UTI e consegue conversar
Estudante agredido por PM em Goiânia deixa a UTI e consegue conversar


Mateus passou por somente um procedimento, em 29 de abril, um dia após ter sido agredido pelo PM Augusto Sampaio de Oliveira com um cassetete. O jovem participava da Greve Geral, movimento contra as reformas que o governo pretende promover. Ao ser agredido, sofreu traumatismo cranioencefálico e múltiplas fraturas no rosto.

Imagens do momento da agressão mostram que, devido à potência do golpe, o cassetete do policial se parte ao meio. Após a repercussão do caso, a corporação afastou o capitão do trabalho na rua até que a investigação termine.

Fonte: Com informações do Metropoles