Estudantes ainda podem fazer matriculas para 2° semestre na UESPI

No entanto, não foi isso que aconteceu

Demora no atendimento, longas filas e estudantes revoltados, esse era o cenário que tomava conta da Universidade Estadual do Piauí, no Campus Torquato Neto, Bairro Pirajá, na quarta-feira, 5, último dia de matrícula.

Isso porque o Sistema Aluno On-line falhou e pegou os alunos, principalmente, os que moram em outros municípios, desprevenidos e estes tiveram de fazer matrícula presencial.

Mesmo com tal situação, o prazo para efetuar as matrículas não foi prorrogado, mas alunos podem se matricular no primeiro dia de aula, no primeiro dia de aula, previsto para acontecer no dia 10 de agosto, para comprovar que estava ausente da cidade do campus.

A proposta do sistema de matrícula na Uespi veio para dar mais agilidade nos procedimentos acadêmicos e facilitar a vida dos estudantes, permitindo que estes pudessem efetuar matrículas em suas próprias residências. No entanto, não foi isso que aconteceu e muitos alunos, com medo de perder o prazo compareceram à instituição.

Como é o caso da estudante do curso de Licenciatura em Matemática, Werlane Abreu, que mora em Monsenhor Gil, 56 km distante da capital. Ela revela ter gastado R$16 com a locomoção.

"Tentei fazer a matrícula pelo sistema online mas não deu certo. Seria bem mais prático se funcionasse. Para não me prejudicar, tive que vir aqui mesmo e fazer a minha matrícula. Ainda sou obrigada a enfrentar essa enorme fila que não anda. Absurdo", desabafa.

Para driblar a problemática e organizar os alunos, a coordenação do curso de Licenciatura em Matemática chegou a distribuir senhas, com numerações continuadas do dia anterior.

Programadas para iniciar às 8h, começaram com meia hora de atraso, tendo como senha inicial 121 e após duas horas depois, apenas 15 alunos foram atendidos.

"Não sei o que é pior, esperar o sistema on-line funcionar ou esperar essa fila diminuir. Sei que está difícil. O que era para ser tão simples, somos obrigados a passar por essa situação", lamenta a estudante Ingrid Rodrigues, que estava com a senha de número 138.

Já no curso de Jornalismo e Relações Públicas, apesar de não haver longa fila, alunos também reclamaram da impossibilidade de acessar o sistema online. Renayra de Sá, estudante do 7ª período, diz que chegou a abrir a página, porém ao confirmar a matrícula o sistema ficou indisponível.

"Acessei o sistema on-line e até abri a página do aluno on-line, mas quando fui concluir a ação a página ficou fora do ar. Desisti e vim logo à coordenação fazer presencial", pontua a estudante.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele