Estudantes inscritos no Enem já podem alterar local da prova

O primeiro exame, que seria aplicado a 4,2 milhões foi cancelado devido ao vazamento de provas

Os estudantes inscritos no Enem que queiram alterar o local da prova, marcada para os dias 5 e 6 de dezembro, já podem solicitar a mudança. A opção está disponível desde as 11h30 na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), embora o órgão tivesse informado que o sistema estaria no ar a partir das 8h.

Os interessados têm até as 23h59 da próxima quarta-feira (14) para solicitar mudanças. Segundo o Inep, os estudantes vão receber a confirmação da inscrição pelo correio, e-mail ou por mensagem no celular.

O primeiro exame, que seria aplicado a 4,2 milhões de estudantes no final de semana passado (3 e 4), foi cancelado devido ao vazamento de provas. Cinco pessoas foram indiciadas pela fraude. Imagens de uma câmera de segurança da gráfica onde as provas foram impressas mostraram dois dos acusados furtando exemplares do teste. A Polícia Federal considera o caso esclarecido.

Segundo o MEC, todas as provas dos vestibulares de universidades e institutos federais marcadas para o mesmo final de semana da nova prova do Enem serão adiadas. Com relação aos certames estaduais, o MEC conversa com UERJ, UEL, Unioeste, UEMG, Uneb e Fatec-SP para que sejam revistas as datas de seus processos de seleção. A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou uma nota oficial nesta terça-feira (6) informando que não usará o exame em seu vestibular.

Ao todo, 68 universidades têm convênio com o MEC para usar os pontos do Enem no processo de seleção. O presidente da Andifes, Alan Barbiero, que representa instituições federais de ensino superior, disse que as universidades podem atrasar em 15 dias o início das aulas. Ele deixou claro, no entanto, que a decisão cabe a cada universidade.

A nova prova do Enem será aplicada pelo Cespe/UnB e a Fundação Cesgranrio, que serão responsáveis pela impressão, aplicação e correção dos exames. Os Correios ficarão responsáveis pela distribuição e a Polícia Federal, pela parte da inteligência. A PF vai acompanhar todo o processo, desde a saída das provas do Inep até a distribuição. A Força Nacional de Segurança pode também participar do processo.

Fonte: g1, www.g1.com.br