Estudo revela as causas de mortalidade de mulheres no Piauí

Pesquisadores da Uespi analisaram todas as declarações de óbitos

Um estudo realizado por membros do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Saúde da Mulher (NUPESM) vinculado ao Centro de Ciências da Saúde, da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) revelou que entre os anos de 2008 e 2012, os cinco principais grupos de causas de morte de mulheres em idade fértil no estado foram: as neoplasias, as doenças cardiovasculares, as causas externas, as doenças infecciosas e as causas maternas, respectivamente. Juntos, esses grupos totalizaram cerca de 70% dos óbitos femininos ocorridos nos cinco anos analisados.

Os resultados são da pesquisa “Panorama da mortalidade de mulheres no estado do Piauí: magnitude, tendência e análise espacial dos óbitos maternos e em idade fértil entre 2008 e 2012” que foi coordenada pelo professor Alberto Pereira Madeiro e vice-coordenada pela professora Andréa Cronemberger Rufino. O objetivo principal do trabalho foi analisar a mortalidade feminina em idade fértil (de 10 aos 49 anos), com ênfase nos óbitos maternos.

De acordo com os pesquisadores, estudar a mortalidade de mulheres em idade fértil é uma das estratégias ou metodologias utilizadas para tentar identificar casos de óbitos maternos que não foram declarados. “A avaliação dos casos de morte materna é difícil, principalmente pela subinformação (pelo preenchimento inadequado das declarações de óbito, omitindo a causa de óbito relacionado à gestação ou parto) e subregistro dos óbitos (pela omissão do registro do óbito no cartório)”, explica Alberto Madeiro, coordenador da pesquisa.

Fonte: Com informações do Portal do Governo