EUA: Tenente gay se casa após 11 anos de relacionamento

EUA: Tenente gay se casa após 11 anos de relacionamento

Militares não puderam assumir homossexualidade durante 18 anos

A abolição formal da política militar americana do ?Don?t ask, don?t tell? (não pergunte, não conte) fez com que com o tenente da Marinha Gary Ross e seu companheiro se casassem em cerimônia reservada no estado de Vermont nesta terça-feira (20), à meia-noite, horário local (2h em Brasília), no que seria o primeiro casamento de um miltar homossexual assumido nos Estados Unidos.

Os dois homens estão juntos há 11 anos. Ross, de 33 anos, e Dan Swezy, de 49 anos, viajaram de Tucson, no Arizona, sudoeste dos Estados Unidos, até Vermont, na costa leste do país, porque o estado foi o primeiro a aceitar uniões civis de pessoas do mesmo sexo e é um dos seis que legalizaram o casamento gay.

Ross disse que tem planos de fazer uma carreira militar completa. ?Estamos animados com o fim dessa política?, disse.

O secretário de imprensa do Pentágono, George Little, afirmou que o ?Don?t ask, don?t tell? surgiu em 1993, permitindo a entrada de homossexuais nas Forças Armadas, desde que não assumissem publicamente sua orientação sexual.

O oficial, formado em 2002 na Academia Naval, trabalha na instalação militar de Fort Huachuca, no Arizona, e espera voltar ao mar no próximo outono.

Obama elogia

O presidente Barack Obama elogiou o fim da política de banir gays de servir abertamente nas Forças Armadas dos Estados Unidos, dizendo que sua extinção oficial na terça-feira marcava um importante passo em direção a cumprir os ideais de fundação do país.

""Hoje a lei discriminatória conhecida como "Não Pergunte, Não Conte" foi finalmente e formalmente repelida", disse Obama em um comunicado divulgado pela Casa Branca. "A partir de hoje, americanos patriotas em uniforme não terão mais que mentir sobre quem são a fim de servir o país que amam."

Em dezembro passado, Obama assinou uma legislação para repelir a política conhecida como "Não Pergunte, Não Conte", que fora aprovada pelo Congresso e virou lei em 1993 sob a presidência de Bill Clinton.

"Nossas Forças Armadas têm sido tanto um espelho quanto um catalisador daquele progresso, e nossos soldados, incluindo gays e lésbicas, deram suas vidas para defender a liberdade e as liberdades que prezamos como americanos", disse Obama.

""oje todo americano pode se orgulhar porque tomamos outro grande passo rumo a manter nossas forças armadas as melhores do mundo e rumo a cumprir os ideais de fundação de nossa nação", acrescentou o presidente.

Sob a política "Não Pergunte, Não Conte", mais de 14.500 pessoas foram expulsas das Forças Armadas desde 1993, segundo a Rede de Defesa Legal dos Membros em Serviço.

Durante anos, grupos de direitos dos gays denunciaram a lei e pediram o seu fim como um importante marco na luta contra a discriminação homossexual.

O Pentágono enviou um memorando destacando que o Departamento de Defesa já havia certificado que o fim da política não prejudicaria a prontidão militar, a coesão da unidade ou o recrutamento e retenção dos membros em serviço.

O Pentágono disse que recrutadores agora estão aceitando pedidos de alistamento de gays.

Fonte: G1