Exército confirma morte do 17º brasileiro no Haiti

Martins Filho trabalhava no Estado Maior do Exército, no Departamento-Geral do Pessoal,

O Comando do Exército confirmou neste domingo (17) a morte do 17º brasileiro no Haiti. O Major Francisco Adolfo Vianna Martins Filhos estava desaparecido desde a última terça-feira, quando um forte terremoto devastou a capital do país, Porto Príncipe.

Martins Filho trabalhava no Estado Maior do Exército, no Departamento-Geral do Pessoal, em Brasília. Ele estava no país caribenho na condição de Observador Militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti, a Minustah, comandada pelo Brasil.

Até agora, as autoridades brasileiras confirmaram a morte de 15 militares, da médica sanitarista Zilda Arns e do diplomata Luiz Carlos da Costa, chefe-adjunto civil da Minustah, sendo o segundo homem da ONU no país.

Feridos permanecem internados

O Exército também deu informações sobre o estado de saúde dos 16 militares brasileiros que voltaram feridos ao Brasil após a tragédia.

Segundo a nota, "o quadro clínico de todos é bom e estável, alguns inclusive com condições de alta hospitalar" e que "nenhum militar necessitou transferência para a Unidade de Terapia Intensiva [UTI]".

Os militares repatriados nesta semana permanecem hospitalizados no Hospital Geral de São Paulo e " maioria apresenta pequenas lesões sem gravidade (fraturas, entorses e escoriações)", diz a nota.

De acordo com o Exército, "todos permanecerão internados até o término do período de quarentena, para a realização dos exames complementares previstos para os militares que participam" de missões como a Minustah. A nota diz ainda que "todos estão recebendo cuidados de equipe multidisciplinar, visando um período de recuperação mais curto".

Três militares continuam desaparecidos

- Cel. José Eliseu Souza Zanin

- Tenente Cel. Marcus Vinícius Macedo Cysneiros, ambos do Gabinete do Comandante do Exército, em Brasília,DF

- Major Márcio Guimarães Martins, do Comando da Brigada de Infantaria Paraquedista, do Rio de Janeiro, RJ.

Clique nos links e conheça a história das vítimas.

Médica Zilda Arns Neumann, médica sanitarista

Luiz Carlos da Costa, diplomata brasileiro da ONU

Do 5º Batalhão de Infantaria Leve de Limeira, SP:

1º Tenente Bruno Ribeiro Mário

2º Sargento Davi Ramos De Lima

2º Sargento Leonardo De Castro Carvalho

3º Sargento Rodrigo de Souza Lima

Cabo Douglas Pedrotti Neckel

Cabo Washington Luis De Souza Seraphin

Soldado Tiago Anaya Detimermani

Soldado Antonio José Anacleto

Soldado Felipe Gonçalves Julio

Soldado Rodrigo Augusto da Silva

Do 2º Batalhão de Infantaria Leve de São Vicente, SP:

Cabo Arí Dirceu Fernandes Júnior

Soldado Kleber da Silva Santos

Do 37º Batalhão de Infantaria Leve de Lins, SP:

Subtenente Raniel Batista de Camargos

Militar da Minustah

Coronel Emilio Carlos Torres Dos Santos

Fonte: R7, www.r7.com