Falta de água em São Paulo afeta mais população pobre, diz pesquisa

Ainda conforme a sondagem, maioria culpa governo estadual pelo problema

A crise no abastecimento de água no Estado de São Paulo afeta com mais intensidade a parcela mais pobre da população. A conclusão é da pesquisa Radar Data Popular/Ideia Inteligência, realizada no último dia 3, por telefone, com 18.534 paulistas de 70 cidades do Estado.

De acordo com a sondagem, o problema de falta de água em São Paulo é duas vezes maior entre as famílias com renda de até um salário mínimo do que entre as com renda superior a dez salários mínimos. Nesta quarta-feira (7), volume de água do Sistema Cantareira, que abastece a cidade de São Paulo e outros municípios, atingiu 9,6% de sua capacidade. No mesmo período, em 2013, o índice era de 62%, conforme dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

Segundo a pesquisa, 25% das famílias com renda de até um salário mínimo afirmaram que tiveram problema com falta de água em casa ou no trabalho nos últimos três meses. Já entre as famílias com renda superior a dez salários mínimos, o percentual foi de 12%.

A preocupação com a falta de água é comum a moradores de todas as faixas de renda, diz o estudo, sendo que ?58% dos entrevistados com renda acima de dez salários mínimos e 58% dos entrevistados com renda de até um salário mínimo acreditam que enfrentarão problemas de falta de água na residência ou no trabalho até o fim do ano?.

Ainda conforme o levantamento, 59% dos entrevistados acreditam que serão afetados pela crise no abastecimento de água até o final do ano. Destes, 52% são moradores do interior; 59%, da capital e 68%, da região metropolitana.

Culpa

A pesquisa Radar Data Popular/Ideia Inteligência revelou que 23% dos paulistas tiveram problema de falta de água nos últimos três meses. A afirmação corresponde a opinião de 14% dos moradores do interior, 20% dos moradores da capital e 35% dos moradores da Região Metropolitana.

Setenta por cento dos entrevistados consideram o Estado culpado pela crise no abastecimento de água em São Paulo. Na avaliação de 41% dos ouvidos na sondagem, o principal responsável pela situação é o governo estadual. Já 29% apontam a Sabesp; 9% responsabilizam o governo federal e 7% atribuem o problema à falta de chuva.

Fonte: r7