Falta de placas nos logradouros e duplicidade do nome de ruas gera prejuízos em Teresina

Entre os prejuízos causados à população está a dificuldade de localização de ruas e prédios públicos, forçando o cidadão a pedir informações

Durante audiência pública proposta pelo vereador Inácio Carvalho (PP), nesta quarta-feira (15), na Câmara Municipal de Teresina, entidades civis e representantes da Prefeitura dialogaram em relação aos problemas no planejamento urbanístico da capital, em especial no que se refere à implantação de placas contendo indicativos das denominações de ruas e bairros em todas as vias públicas da cidade. Entre os prejuízos causados à população está a dificuldade de localização de ruas e prédios públicos, forçando o cidadão a pedir informações para outros transeuntes.


De acordo com Maércio da Silva, presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Piauí, a precariedade da sinalização em Teresina vem prejudicando o trabalho dos oficiais, que, em muitos casos, não conseguem localizar o endereço das pessoas envolvidas nos processos judiciais. “Uma mesma rua possui vários nomes, as casas não tem uma numeração regular, entre outros problemas que acabam rendendo aos oficiais de justiça processos administrativos em virtude da não localização das partes envolvidas num litígio”, relata.

Há pelo menos cinco anos, o vereador Inácio Carvalho trouxe a questão para a pauta das discussões na Câmara Municipal, muito embora não tenha conseguido resolver o problema, tendo em vista o crescimento contínuo da cidade, em especial através de conjuntos habitacionais. “A falta de uma sinalização eficaz é um problema que muito nos aflige, pois as pessoas acabam tendo que recorrer a outras, de forma rotineira, para localizar o seu destino final. Em momentos como esse, os populares podem pedir ajuda a alguém mal intencionado, ocasionando problemas bem piores”, argumenta.

Eneas Barros, coordenador de Turismo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, defende a adoção de ações integradas entre os órgãos responsáveis, contribuindo para que Teresina desenvolva as condições necessárias para competir por novos visitantes com as demais cidades brasileiras. “A falta de sinalização é um dos nossos principais problemas, pois além de dificultar o deslocamento dos visitantes, também não orienta os turistas em relação aos pontos turísticos da cidade”, enumera.

Entre os encaminhamentos definidos durante a audiência pública, ficou acertado que a Prefeitura de Teresina deverá incluir a sinalização turística no emplacamento das ruas, distribuir as responsabilidades pelo emplacamento dos logradouros entre as SDU’s, bem como a criação de um grupo de trabalho para reavaliar a nomeação das residências. Já a Câmara Municipal ficará encarregada de viabilizar uma lei que obrigue os imóveis a serem numerados de acordo com as regras da Prefeitura.

Fonte: Assessoria