Falta fiscalização e sinalização na avenida Henry Wall de Carvalho

O problema, agora, é que a avenida está um tapete

Os moradores da Avenida Henry Wall de Carvalho, zona Sul de Teresina, continuam sem sossego. É que depois de mais de um ano convivendo com os transtornos – poeira, lama e muitos buracos – causados pela obra de recapeamento asfáltico da via, enfim, a obra foi concluída. O problema, agora, é que a avenida está um tapete e os motoristas estão andando em alta velocidade, e isso acontece sem fiscalização e sinalização adequadas.


Image title

A população local exige quebra-molas, redutores eletrônicos, sonorizadores, tartarugas ou algo que possa conter a velocidade dos condutores que, por inconsequência, já provocaram acidentes. Além disso, eles também exigem faixas de pedestre, pois os transeuntes têm muita dificuldade para atravessar a rua de um extremo a outro. Até mesmo a sinalização mais básica – a velocidade máxima permitida pela via, por exemplo – não existe em grande parte do trecho da Avenida Henry Wall de Carvalho. E quem sofre com isso todos os dias são pessoas como as comerciantes Maria Antônia Ferreira de Sousa e Maria de Jesus da Conceição. Elas denunciam a falta de atenção da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS) e a falta de sensibilidade dos condutores, o que resulta no risco que correm todos os dias.

“Já presenciamos acidentes depois que eles terminaram a Avenida. Outro dia mesmo teve um acidente com o ciclista bem na nossa frente”, diz Maria Antônia. “É que eles [os motoristas] passam muito rápido porque sabem que aqui não tem sinalização e muito menos fiscalização. Tem que ter um sensor, uma lombada”, complementa Maria da Conceição. “Para atravessar a rua é uma luta. Não tem faixa de pedestre, sinalização, nada que indique que aqui passa gente.

Quando é de manhã cedo, é impossível passar para o outro lado da Avenida [Henry Wall], simplesmente porque os carros não deixam. É um perigo muito grande para todos que moram aqui perto”, considera Maria Antônia.

STRANS promete sanar problemas

Segundo José Falcão, diretor de Trânsito Viário da STRANS, uma equipe será encaminhada ao local. “Nós vamos mandar uma equipe técnica o mais breve possível para ver a questão da sinalização da via”, diz. “Sobre a questão dos carros em alta velocidade, vamos colocar a Avenida Henry Wall de Carvalho na rota dos radares móveis”, complementa.

Sobre a questão das faixas de pedestre, o diretor afirma que só é possível realizar a pintura da sinalização horizontal de vias que tiveram recapeamento asfáltico em um prazo de 15 dias. “É preciso esperar o asfalto curar, senão ele absorve a pintura que fazemos em cima do asfalto. Mas logo as faixas de pedestre serão aplicadas ali”, finaliza.

Ainda faltam acabamentos na via

Segundo a Superintendência de Desenvolvimento Urbano da Zonal Sul (SDU/Sul), a obra está em fase final, faltam apenas os acabamentos da pista, que incluem iluminação de LED, canteiros centrais e a parte de drenagem da via.

Espera-se que a via esteja concluída até agosto deste ano. No momento que a reportagem foi à Avenida Henry Wall de Carvalho, trabalhadores da prefeitura realizavam reparos no canteiro central e nas laterais da via.

Também será realizado o asfaltamento da via no trecho que vai do balão de uma distribuidora de cerveja até o cruzamento existente na tabuleta. Esta obra será executada pela própria prefeitura e contará com melhorias de captação hídrica, de modo a escoar a água da chuva e impedir alagamentos comuns existentes no período chuvoso na entrada do Bairro Promorar.

Fonte: Pollyana Carvalho e Lucrécio Arrais