Família de jovem morta no Hopi Hari pede R$ 4,6 mi de indenização

Família de jovem morta no Hopi Hari pede R$ 4,6 mi de indenização

Gabriela Nichimura, de 14 anos, morreu ao cair do brinquedo "La Tour Eiffel"

O advogado contratado pela família de Gabriela Yukari Nichimura, Ademar Gomes, protocolou, na manhã desta quinta-feira (5), um pedido de indenização de R$ 4,6 milhões por danos morais provocados pela morte da adolescente no parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo (SP). "O valor deve-se ao sofrimento causado pelo acidente. Serão pedidos R$ 1,555 milhão para a mãe e mesma quantia para o pai. Além disso, R$ 497,6 mil para a irmã de Gabriela e valor igual para os avós paternos", explica Gomes sobre a ação protocolada no Fórum de Vinhedo. A jovem caiu do brinquedo "La Tour Eiffel" em 24 de fevereiro.

Sobre os danos materiais, o advogado também quer dois salários mínimos para cada um dos pais, da data do acidente até o dia em que Gabriela completaria 25 anos, em 2022. A estimativa, considerando-se a remuneração atual de R$ 622, é de que a compensação seja próxima dos R$ 300 mil. Gomes afirmou que a ação é contra o parque, o presidente Armando Pereira Filho, o gerente geral de Manutenção e Projetos, Stefan Fridolin Banholzer, o gerente de manutenção Flávio da Silva Pereira, além do gerente de planejamento Fábio Ferreira da Silva.

Em 14 de maio, o juiz da 1ª Vara Criminal de Vinhedo, Fábio Marcelo Holanda, aceitou a denúncia contra 12 pessoas oferecida pelo promotor criminal Rogério Sanches.

Fiscalização

O advogado da família de Gabriela reiterou que irá pedir R$ 1 milhão de indenização à Prefeitura de Vinhedo (SP). Ele considera que não houve fiscalização e a administração é responsável pela concessão do alvará de funcionamento. Ademar Gomes não tem data definida

Outro lado

A assessoria de imprensa do Hopi Hari informou que o parque vai se posicionar sobre o assunto por meio de nota até o fim da tarde desta quinta-feira.

Fonte: G1