Família morta em batida levava bebê ao pediatra; velório mobiliza cidade

Segundo parentes e amigos, eles se deslocavam para levar o filho mais novo, com menos de dois meses, a um médico

O velório do casal e dois filhos mortos após colidirem um carro contra um caminhão, que tentava atravessar uma rodovia na contramão, reúne, na manhã desta sexta-feira (11), mais de 3 mil pessoas em Ibiraiaras, município com menos de 7 mil habitantes onde a família residia no Norte do Rio Grande do Sul. Segundo parentes e amigos, eles se deslocavam para levar o filho mais novo, com menos de dois meses, a um médico quando o acidente ocorreu.

Os corpos de Kassius Roberto Dal Piva, de 32 anos, a mulher, Ângela Raqueli Dal Piva, de 25 anos, e os filhos Carlos Henrique Dal Piva, de 3 anos, e Afonso Jacir Dal Piva, de 2 meses, estão sendo velados no Cemitério São José. A família morreu após o carro em que viajava colidir contra um caminhão no km 236 da BR-285, na altura de Caseiros.

Segundo parentes e amigos, o casal se deslocava para levar o filho mais novo, com menos de dois meses, a um médico pediatra em Passo Fundox quando o acidente ocorreu. ?O bebê teve um princípio de pneumonia e o pai estava indo levar ele para uma revisão?, disse ao G1 o comerciante Julio Cesar Stella, 47 anos, que era amigo e vizinho de porta do casal.

Acostumado com o contato diário com a família, Júlio diz que a pequena cidade parou diante da tragédia. ?É difícil assimilar porque estamos ainda naquele choque emocional, mas é muito difícil?, ressaltou.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o carro conduzido por Kassius bateu na lateral do caminhão, que atravessou a estrada para acessar um trevo em direção ao município de Santa Cecília do Sul. Para fazer a manobra, o caminhoneiro teria invadido a pista contrária.

As informações apuradas até agora sobre as circunstâncias do acidente geram comoção ainda maior em Ibiraiaras. ?Foi uma manobra de irresponsabilidade. A rodovia está bem conservada. O problema é a imprudência?, avaliou o amigo da família.

Delegada tem convicção

A Polícia Civil de Lagoa Vermelha, onde a ocorrência foi registrada, investiga o acidente. Tanto o veículo quanto o caminhão ainda passarão por perícia para apurar as circunstâncias do acidente, mas a delegada Alexandra Ferreira já tem convicção de que o motorista do caminhão trafegava na contramão. ?Ficou bem claro que o motorista do caminhão entrou no trevo na contramão e houve a colisão contra o carro?, sintetizou.

O casal morreu no local. Já o bebê e o irmão foram socorridos e levados para o Hospital São Paulo de Lagoa Vermelha, a cerca de 17 quilômetros do local do acidente, mas não resistiram aos ferimentos. O motorista do caminhão escapou ileso.

Após o choque, o caminhoneiro precisou ser retirado do local para evitar que fosse linchado por populares. ?As pessoas que passavam pela rodovia estavam revoltadas com o acidente. Ele precisou ser retirado às pressas de lá?, descreveu a delegada. O homem não foi preso porque não houve flagrante. Ele será intimado a prestar depoimento..


Família morta em batida levava bebê ao pediatra; velório mobiliza cidade

Família morta em batida levava bebê ao pediatra; velório mobiliza cidade

Fonte: G1