Famílias carentes denunciam que há fraudes nos sorteios de casas do MCMV

Famílias carentes denunciam que há fraudes nos sorteios de casas do MCMV

Famílias carentes estão inscritas nos programas sociais para serem beneficiadas com uma casa própria, mas que não conseguem ser sorteadas

O programa habitacional ?Minha Casa Minha Vida? vem realizando o sonho de muitos brasileiros que através dele conseguiram a tão almejada casa própria. Pessoas que viviam no aluguel e agora tem seu imóvel próprio. Entretanto, na prática nem sempre tudo é tão perfeito já que, mesmo preenchendo todos os requisitos da linha de pobreza, algumas famílias não passam pelo sorteio das unidades habitacionais.

O repórter Ricardo Moura Fé visitou algumas vilas e invasões da cidade para acompanhar de perto o drama de famílias que vivem em situações de risco e que estão inscritas nos programas sociais para serem beneficiados com uma casa própria, mas que não conseguem ser sorteados.


Famílias carentes denunciam que há fraudes nos sorteios de casas do MCMV

O senhor José Silva tenta desde o ano passado ser contemplado pelo ?Programa Minha Casa Minha Vida?. ?Eu já me inscrevi, minha cunhada também se inscreveu e eles me disseram que tinha que ser sorteado. Minha cunhada até foi sorteada, mas aí eles disseram que tinha que dar um dinheiro e a gente não tem muito esclarecimento e o que sabemos é que não deu certo fazer pela Caixa?, conta.


Famílias carentes denunciam que há fraudes nos sorteios de casas do MCMV

Na invasão Mário Covas está cheio de histórias parecidas. ?Eu me inscrevi e disseram que só precisava se inscrever apenas uma vez e nunca me deram resposta, já fiz até uma carta para o Lula e recebi a resposta para levar lá na SDU e até hoje nunca ganhei nada, aí quando acontece uma invasão que nem essa a gente vem porque não tem onde morar. A gente tem criança, paga aluguel e se não tivesse essa despesa já ia usar esse dinheiro para comprar comida?, conta Kátia Maria, dona de casa.

Pior do que tentar uma casa pelo programa e não conseguir, é saber que tem pessoas que possuem condições financeiras e mesmo assim ganharam uma casa pelo programa. No Residencial Bem Viver, por exemplo, a prestação de um apartamento está na média de R$ 25 a R$ 30 reais. Contudo, há denúncias de que a grande maioria das pessoas que lá vivem possuem carro do ano e não são de fato carentes. Em muitos desses conjuntos populares o estilo de vida dos moradores denuncia que algo está errado já que a maioria conta com centrais de ar condicionado, tv por assinatura e parabólicas.

Em entrevista concedida ao vivo para o programa Agora, Anísia Teixeira - que faz parte da Associação de Moradores do Conjunto Jacinta Andrade - denuncia que em vários conjuntos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida há pessoas que estão se beneficiando financeiramente com a comercialização dos imóveis que deveriam atender à pessoas carentes.

?Já fizemos várias denúncias dessa situação junto ao Ministério Público Federal e Estadual e acho que eles estão pouco atuantes nessas questões, mas é visível o quanto tem pessoas que não se enquadram no programa, mas que ainda assim conseguem ser beneficiadas com casas do Minha Casa Minha Vida. É preciso que haja uma investigação mais forte e que evite que pessoas que não precisam sejam agraciadas?, conta Anísia Teixeira.

Ela ainda destaca que, as pessoas que não precisam não tem interesse em morar nas residências e acabam deixando as casas fechadas e ociosas.

Fonte: Marcilany Rodrigues