Faxineira tem reação alérgica após alisar cabelo e teme ficar cega

Ela recebeu R$ 20 para o ônibus e “correr atrás” de tratamento.

Um alisamento de cabelo custou caro à faxineira Andreza Cristina Fernanda de Souza, de 28 anos. Ela teve uma reação alérgica tão forte após fazer escova progressiva que temeu ficar cega. O rosto dela voltou ao normal depois de receber atendimento médico, mas a cabeça ficou cheia de feridas. O caso ocorreu neste sábado (22/10) em São José do Rio Preto (SP).

O cabelo de Andreza era curto e enrolado. Ela decidiu fazer relaxamento dos cachos e escova progressiva ao mesmo tempo. No dia seguinte, a faxineira conta que sua testa brilhava e seus olhos ardiam muito. Na segunda-feira (24), não conseguia enxergar mais nada, de tão inchado que seu rosto estava. “Tive medo de ficar cega e perder a visão. Eu precisei de ajuda até para andar”, contou.

Andreza foi atendida em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região em que trabalha. Lá tomou injeção antialérgica e remédio. A médica disse que a faxineira não terá sequelas, mas recomendou que ela procurasse a polícia. “Já procurei uma advogada. Estou com feridas na cabeça. Acho que foi por causa do formol, eu sou alérgica e não sabia”, disse.

Ela voltou ao salão em que fez o tratamento. Recebeu R$ 20 reais para pegar ônibus e “correr atrás” do tratamento. Um dos donos do local afirmou que o formol é aplicado em quantidade mínima. Segundo ele, o produto foi testado em uma mecha do cabelo de Andreza para verificar possíveis reações alérgicas e nada foi constatado.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a legislação permite o uso de formol em cosméticos apenas como conservante, com limite máximo de 0,2%. A venda de formol está proibida desde 2009.


Fonte: Com informações do Metropoles