Filha de torcedor caído em fosso diz que pai notou erro em atendimento

A estudante Renata negou que o pai estivesse embriagado.

O primeiro atendimento prestado ao torcedor que caiu no fosso do Engenhão no último domingo foi feito incorretamente. O colar cervical foi colocado de maneira invertida, mas ninguém assume o equívoco. Corpo de Bombeiros e Botafogo (clube que administra o estádio) jogam a responsabilidade um para o outro. Mas a filha de Francisco de Assis Vilar de Freitas culpa ambos. A estudante Renata negou que o pai estivesse embriagado e disse que ele estava consciente após a queda a ponto de notar o erro dos socorristas.


Filha de torcedor caído em fosso diz que pai notou erro em atendimento

Francisco Freitas, de 53 anos, caiu no fosso do Engenhão após o primeiro gol do Fluminense na vitória por 3 a 1 sobre o Vasco na final da Taça Guanabara. O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro confirmou o erro, mas explicou em nota que o primeiro contato com o torcedor foi feito pelos socorristas do local. Diretor executivo do Botafogo e responsável pela administração do Engenhão, Sergio Landau rebateu a versão da corporação e eximiu a equipe médica do estádio de culpa.

No entanto, Renata Campos de Freitas não concorda. A filha de Francisco atribuiu responsabilidade aos Bombeiros e aos socorristas. ?O atendimento foi rápido, mas errado. Mesmo com muita dor, ele estava consciente. Meu pai até percebeu que o colar cervical estava errado e pediu para que tirassem porque machucava muito. Os maqueiros colocaram, mas os bombeiros não quiseram tirar e só foi arrumado quando ele chegou ao hospital. Um absurdo?, afirmou.

Vascaína, Renata também tentou ir ao jogo no domingo, mas não conseguiu ingresso. O pai tricolor acabou indo sozinho ao Engenhão. ?Ele vai quase sempre ao estádio porque tem um depósito de bebidas ali perto. Quando tem pênalti, ele fica muito angustiado. Então, virou de costas. Naquela confusão por causa do gol, ele caiu?, explicou a filha de Francisco.

Renata Freitas não gostou de comentários sobre uma possível embriaguez do pai no momento da queda. ?Ele não tinha bebido. Fiquei revoltada quando li coisas a respeito. Independente de beber, brigar ou qualquer coisa, nenhuma pessoa merece passar por isso. É muito feio as pessoas ficarem fazendo piada com a situação do meu pai?, criticou a estudante de 21 anos.

Segundo Renata, Francisco Freitas quebrou dois dentes, levou pontos na boca, machucou queixo, pescoço e costela, teve uma fissura no ombro e ainda foi submetido à cirurgia no punho. ?Não vai ter sequelas e ele deve ter alta quarta à tarde?, falou. A família viu o acidente pela televisão e recebeu a confirmação quando o comerciante chegou ao hospital.

Fonte: UOL