Filha trolla mãe dizendo ser lésbica e é ameaçada: “Eu mato ela!”

Adolescente 'trolla' mãe insinuando ser lésbica e mulher 'surta'

O que parecia ser simplesmente uma brincadeira, acabou tomando um rumo totalmente diferente do que se esperava. A youtuber Anna Lis Camargo junto ao seu pai decidiram trollar a mãe contando que era lésbica. Depois de ver uma foto, a mãe afirma que a filha ficará 3 longos meses sem celular e que a próxima brincadeira sem graça a garota ficará 6 meses sem seu aparelho.


“Eu não quero saber, eu quero o celular na minha mão. Isso se eu não quebrar na parede. Você não tem idade pra isso! Não é preconceito! Ela não tem idade pra isso. Ela nem sabe o que é isso!”, afirma a mãe.

Luciana começa a ficar transtornada ao ver que a brincadeira tinha um fundo de verdade. “A próxima besteira que você fizer você vai pra rua. Senão eu te quebro no meio. Eu vou ser presa e seu pai vai ser preso. Você vai acabar com a sua família. “Eu quebro essa porra na cabeça dela, ela vai parar no hospital”, ameaça Luciana.

Tudo fica pior quando a mãe pega uma faca e ameaça a própria filha de morte. Além de ameaçar a filha, a mãe coloca a vida de toda sua família em risco.

Os internautas não acharam nenhum pouco engraçado e pediram o nome completo da mulher para que pudessem denunciá-la. Ao que parece, Anna está bem apesar da brincadeira. Todo o tempo a mãe da garota afirma que a filha será a responsável por acabar com a família sendo que foi ela quem pegou uma faca e afirmou que mataria sua própria filha: “Vai acontecer uma tragédia aqui!”.

Para o estudante Alberto Moraes, 22 anos, não somente a mulher precisa de tratamento psicológico quanto as youtubers não deviam brincar com uma causa tão séria. "É ridículo, pois vários gays morrem, são expulsos de casa, são agredidos e atacados todos os dias por serem gays. Essas meninas deveriam arrumar coisa melhor pra fazer, e além disso essa mãe devia ser autuada pelo Conselho Tutelar por ameaçar duas adolescentes e uma criança. O pai também não devia incentivar esse tipo de coisa", opina. 

A social media Luana Alencar, 28 anos, acredita que o caso deveria ser investigado como agressão e homofobia, e que as garotas deviam ser instruídas a não fazerem vídeos desse tipo. "Parece algo que você faz para ganhar visualizações, só que foi muito grave. Elas podem ser agredidas de verdade, pois foi muito sério", enaltece. 

Marido de mãe que surta ao descobrir que filha é lésbica em vídeo fala que foi tudo encenação

Na web, muitos usuários criticam a reação da mãe, a exposição do vídeo nas redes e o fato de que a violência contra LGBT's não deveria ser motivo de qualquer tipo de brincadeira, uma vez que reações como a da mãe das jovens acontecem, de fato, em diversas famílias. No Twitter, a atriz Luana Piovanni também criticou o vídeo.

De acordo com pai das meninas, Marcelo Kraus, toda a gravação não passou de uma encenação planejada por toda a família. Segundo ele, as filhas fazem teatro e começaram o canal há pouco tempo. A ideia de fazer o vídeo foi para chamar atenção para a homofobia que, em muitos casos, acontece dentro de casa.

- Foi tudo simulado. Simulamos uma casa homofóbica. Queríamos mostrar como isso acontece em muitas famílias. Tem muita diferença uma câmera escondida e o que fizemos. O vídeo é editado e, sinceramente, não achamos que pudesse ter uma repercussão negativa. Não pensamos nisso. Até porque, o canal é recente. Mas, descobrimos que a internet é mesmo muito forte - disse.

Ainda segundo Marcelo, a mãe das meninas, Lucineia, é quem está sofrendo a maior parte das críticas.- Quem está sofrendo a repercussão negativa é a mãe, que fez algo para motivar as filhas, para ajudá-las com o projeto delas e acabou sendo encarada como uma pessoa ruim. Mas estamos tranquilos. Nós sabemos a mensagem que queríamos passar e muita gente entendeu.

Perguntado sobre como seria a reação dele e da esposa caso a situação fosse real, Marcelo disse que o tema é amplamente discutido em casa.- Temos as mentes muito abertas. Isso não é um problema para nós. A opção sexual, a identidade de gênero, tudo isso são questões muito bem resolvidas na nossa família. Nós tivemos filhos muito novos, temos um estilo de vida alternativo, conversamos sobre tudo com nossos filhos e os ensinamos a ter as mentes abertas também. O que acontece no vídeo com certeza não aconteceria na nossa vida real - explicou.

A encenação da família foi tão bem feita que o vídeo viralizou na internet, com a maioria dos usuário acreditando que a filmagem é real. O vídeo, que recebeu o nome de "Trollando a mãe" já ultrapassou a marca de 150 mil visualizações, no YouTube. No Facebook, o vídeo já foi visto mais de 7 milhões de vezes teve mais de 48 mil compartilhamentos.

Fonte: Com informações do Superpride