"Fiz por dinheiro e me arrependo", diz suspeito de matar família

"Fiz por dinheiro e me arrependo", diz suspeito de matar família

"Ele prometeu quantia que mudaria minha vida", disse namorado de Jimmy.

Os suspeitos de participação na morte de três membros da família Belota, Rodrigo de Moraes Alves, de 19 anos, e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães, 18, confessaram, em entrevista, na madrugada quinta-feira (24), que mataram as vítimas e disseram estar arrependidos do crime. Eles foram apresentados na Delegacia Geral, localizada na Zona Centro-Oeste de Manaus. Jimmy Roberto, que é apontado como mandante do homicídio do próprio pai, tia e prima, não quis dar declarações.

Maria Gracilene, de 55 anos, a filha Gabriela Belota, de 26, e o cachorro da família foram encontrados mortos pela empregada doméstica por volta das 8h, na manhã de terça (22), no apartamento da família, localizado no Condomínio Parque Solimões, Zona Sul de Manaus. No mesmo dia, foi encontrado o corpo do pai de Jimmy, Roberval Roberto de Brito, de 63 anos, na na Rua Rêgo de Barros, bairro São Raimundo, Zona Centro-Oeste.

De acordo com a confissão de Rodrigo e Ruan, Jimmy prometeu dividir a herança do pai, mas não revelou valores que seriam pagos aos suspeitos. A herança em questão, segundo o titular da Delegacia de Homicídios, Divanilson Cavalcanti, era de R$ 200 mil.

Rodrigo de Moraes, que afirmou ser namorado de Jimmy, disse que matou por causa do dinheiro e está arrependido. "Não fiz por amor, fiz pela grana. Ele não chegou a especificar uma quantia, mas garantiu que seria uma grana que mudaria a minha vida. Agora estou arrependido", disse.

Ruan Pablo Bruno também afirmou ter se arrependido de participar do crime. O único que não quis se pronunciar foi Jimmy, que continua negando envolvimento com o crime, segundo a polícia. "Só quero falar na presença dos meus advogados", declarou Jimmy.

De acordo com a diretora de perícia, Marilane de Moraes, será solicitada a perícia do laudo de um psiquiatra para verificar se Jimmy possui distúrbios mentais. "O titular da Delegacia de Homicídios vai solicitar uma perícia de um médico psiquiatra para dar um laudo sobre ele, que ficará pronto após 30 dias", disse.

Os três foram encaminhados para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa na tarde desta quarta-feira (23). Eles são suspeitos de triplo homicídio qualificado, formação de quadrilha, maus tratos contra animais e, no caso de Rodrigo, além desses, porte ilegal de armas.

Entenda o caso

Maria Gracilene e a filha Gabriela Belota foram encontradas mortas pela empregada doméstica por volta das 8h, na manhã de terça (22). Segundo a polícia, ambas apresentavam sinais de estrangulamento, no apartamento da família, localizado no Condomínio Parque Solimões, Zona Sul de Manaus. O cachorro da vítima, um yorkshire chamado Rick, também foi morto.

O corpo da filha, que era estudante do curso de Odontologia, da Universidade do estado do Amazonas (UEA), estava em cima de uma cama, enrolado em um lençol e o da mãe, que era coordenadora-geral de Comércio Exterior da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), no corredor da residência.

Segundo a polícia, Jimmy usou o cachorro de Gabriela como disfarce para o crime. Ele disse para a prima que ia passear com Rick no condomínio e deu a chave do apartamento para o namorado, que entrou no local com o outro suspeito e matou a jovem.

O pai de Jimmy, Roberval Roberto de Brito, de 63 anos, foi encontrado morto também na terça-feira, na casa em que vivia. Conforme a Polícia Militar, ele foi encontrado jogado em cima da cama com as mãos amarradas, também com sinais de estrangulamento.

Fonte: G1