FMS inicia segunda fase de vacinação contra o vírus HPV

Faltam ser vacinadas 12.864 meninas

A segunda fase da vacinação contra o vírus Papiloma Humano (HPV) chegou às unidades de saúde do Estado e do Município. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) pretende imunizar as 7.492 garotas de 9 a 11 anos de idade, em Teresina, que já tomaram a primeira dose em março deste ano. As outras 12.864 meninas que ainda não foram vacinadas também devem procurar as unidades básicas de saúde mais próximas.

Para aumentar o alcance de imunização, a FMS repetirá a mesma estratégia feita no primeiro semestre, montará um cronograma de visitas às escolas públicas e privadas da capital, é o que afirma a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba.

“Nós já estamos entrando em contato com as escolas para agendar o dia e a hora da vacinação. Agora precisamos que a população acolha essa ação do SUS, pois não é justo que disponibilizemos essa vacina, cujo custo é alto, R$ 500, e a sociedade não compareça”, conta.

A diretora ressalta a importância da vacina para a prevenção do câncer de colo de útero, doença que mata 5.200 mulheres todos os anos no Brasil e deixa mais de 10 mil doentes. Com tantos riscos, 63,2% meninas, por algum motivo, não compareceram à primeira fase da campanha.

“Não há motivo para não vacinar a sua filha, a vacina é apenas uma injeção de meio centímetro feita com agulha e seringa adequados. As pessoas devem acreditar e creditar o serviço público que está sendo prestado.

Não existem riscos, a vacina é fabricada com fragmento do vírus utilizando o que mais de atualizada em fabricação de vacina, que é a tecnologia recombinante. Então, vamos evitar que o vírus mate essas mulheres daqui a 30, 40 anos”, esclarece Amariles.

CALENDÁRIO - O calendário de vacinação contra o vírus HPV acontece todo o ano nos postos de saúde, mas o intervalo entre a primeira e a segunda dose deve ser de seis meses; já a terceira é feita após 60 meses da dose inicial.

Vale lembrar que as mulheres de 14 a 26 anos, portadoras do vírus HIV/Aids, o esquema é diferenciado. A Fundação Municipal de Saúde recomenda que elas procurem o Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo, através do Serviço de Atendimento Especializado (SAE).

Fonte: Lindalva Miranda e Rhauan Macedo