FMS organiza mutirão de combate à hanseníase

A ação aconteceu por meio da Fundação Municipal de Saúde (FMS) em quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Teresina

Durante todo o sábado (29) foi realizado um mutirão para o atendimento de pessoas com mancha suspeita de hanseníase, visando o diagnóstico precoce da enfermidade. A ação aconteceu por meio da Fundação Municipal de Saúde (FMS) em quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Teresina, nas zonas Leste, Sudeste, Norte e Sul de Teresina.

A Dra. Anna Carolina Vaz, que junto à enfermeira Lenise Cardoso fizeram o mutirão na Unidade Básica de Saúde do Planalto Uruguai, ressalta a importância da ação: “Essa ação acontece durante todos os anos. Nossa região é endêmica de casos de hanseníase, o que significa que embora não tenhamos surtos da doença, sempre estamos encontrando casos no cotidiano. Em razão do preconceito, muitas pessoas não procuram atendimento, e ficam em casa com sua dormência em razão do estigma”, avalia.

A hanseníase precisa ser tratada o quanto antes para melhores resultados: “Nesse momento nós aproveitamos para esclarecer que a doença tem tratamento e da necessidade de fazê-lo o quanto antes para que não aja o avanço da enfermidade. Também orientamos que as pessoas que residem com o portador de hanseníase também sejam avaliados”, pontua a Dra. Anna Carolina.

Caso a doença seja identificada, os profissionais de saúde dão encaminhamento ao paciente: “Nós fazemos a avaliação e o exame dermatológico. Quando a lesão é identificada, já iniciamos o tratamento aqui mesmo, onde fornecemos a primeira dose supervisionada da medicação. Depois o paciente leva o medicamento para casa e também o encaminhamento para a sua unidade de referência”, explica a médica.

A população precisa estar atenta aos sintomas da hanseníase, que é a presença de manchas esbranquiçadas ou avermelhadas no corpo, onde a sensibilidade desses locais é menor. A presença de caroços e inchaços no corpo também podem indicar a doença, além do engrossamento do nervo do cotovelo. Dor e sensação de fisgadas nos membros também são sintomas, além da diminuição de pelos e produção de suor.

Além do mutirão na Unidade Básica de Saúde do Planalto Uruguai, o Hospital Mariano Castelo Branco, na Santa Maria da Codipi, zona Norte, recebeu a população para atendimento. Na região Sudeste, o Hospital Alberto Neto (Pronto Socorro Dirceu Arcoverde II) tiveram a atividade de combate à hanseníase. Já na região Sul, o Centro de Saúde do Saci foi o ponto do mutirão.

Fonte: Lucrécio Arrais