FMS traça ações para prevenir suicídio com núcleo especializados

A FMS reuniu-se para elborar plano de ação de prevenção

O Núcleo de Estudos e Prevenção ao Suicídio (NEPS) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) realizou na manhã desta sexta-feira (18) reunião para tratar da elaboração do Plano de Ação inicial do núcleo e também para formatarem o documento de solicitação do retorno do Ambulatório Especializado de Valorização da Vida e Prevenção do Suicídio – PROVIDA para a gerência da FMS.

O NEPS foi criado em setembro de 2015, com o objetivo de analisar a problemática do suicídio e desenvolver ainda mais políticas públicas de prevenção. “Nós vamos fazer inicialmente estudos de como estão funcionando os trabalhos de prevenção ao suicídio em toda Teresina, seja iniciativa pública ou particular. Depois desse estudo traçaremos as estratégias mais cabíveis para focarmos melhor na prevenção e educação em saúde relacionada à temática suicídio para que escolas, organizações e poder público sejam multiplicadores das informações”, explicou Mayra Melo, da Gerência de Atenção Psicossocial da FMS.

O psiquiatra Samuel Rego, da Associação de Psiquiatria, esteve presente na reunião de hoje do NEPS e falou que toda a classe está realmente querendo mais envolvimento da sociedade. “Nosso objetivo é ajudar as pessoas e diminuir os números de suicídios. Temos que fazer estudos e realmente partirmos para a ação. Vamos tentar realizar um trabalho de integração entre poder público e iniciativa privada para focarmos na prevenção ao suicídio”, disse o médico.

 Um representante do Centro de Valorização da Vida (CVV), Cristiano da Costa, e uma representante da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), psicóloga Ana Resa, também participaram da reunião do NEPS. “Qualquer ser humano pode pensar, em algum momento da vida, em suicídio. Não existe um perfil A ou B. Não são só pessoas deprimidas que cometem suicídio, existem pessoas que usam máscaras de felicidade e acabam cometendo suicídio. Temos que analisar cada caso para traçarmos as estratégias preventivas. Precisamos do envolvimento social para alcançarmos nossa meta”, afirmou Cristiano.

A criação do NEPS se deu devido à necessidade de identificar a prevalência dos determinantes e condicionantes do suicídio e tentativas, assim como os fatores protetores e o desenvolvimento de ações intersetoriais de responsabilidade pública, sem excluir a responsabilidade de toda a sociedade.

O suicídio é atualmente a primeira causa de morte por atos de violência no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, uma pessoa se suicida a cada 40 segundos no mundo, o que representa um aumento de 60% no número de mortes nos últimos 45 anos. 

 Para o psicólogo do Ambulatório Especializado de Valorização da Vida e Prevenção do Suicídio – PROVIDA, Daniel Feitosa, o Núcleo de Estudos e Prevenção serve para que a realidade do suicídio seja conhecida e também para que sejam feitas estratégias de prevenção. “Entrar em contato com os diversos setores e políticas públicas fará com que os profissionais não fiquem isolados e possam trabalhar junto para melhorar o quadro do suicídio na capital”, falou.

Fonte: Portal MN