Focos de incêndio no sul do Piaui preocupam autoridades

As queimadas na agricultura e limpeza são os maiores responsáveis pelos incêndios, causando sérios danos ao meio ambiente.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA (15) DO JORNAL MEIO NORTE

O período chuvoso do Piaui chegou ao fim, com isso os focos de incêndio tendem a aumentar por causa do tempo e vegetação secas. Até o momento, mais de mil focos de incêndio foram registrados em todo o estado. As queimadas na agricultura e limpeza são os maiores responsáveis pelos incêndios, causando sérios danos ao meio ambiente.

As autoridades estão em alerta para o aumento das queimadas esse ano no estado do Piaui, imagens geradas por satélites registraram 1.192 focos de calor no momento. O coordenador do prevfogo do Ibama, Gildenio Sousa explica que as imagens recebidas correspondem a focos de calor, mas que são muito precisas quanto a queima e presença de fumaça. " Nós fazemos esse monitoramento, através das imagens do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que nos atualizam de três em três horas. Realizamos o trabalho de monitoramento e prevenção de incêndios nas áreas mais criticas", explica.

De acordo com dados da prevfogo do Ibama, em 2013, 6.555 focos de incêndio foram registrados, mas que o número deve ser ultrapassado esse ano, pois ainda não estamos nos meses do B-R-O BRÓ, onde a chuva é muito escassa e o tempo mais seco. As regiões mais criticas são a do sul do estado, onde a seca e a caatinga são predominantes.Os municípios que estão em alerta são: Floriano com 116 focos de incêndio, Uruçuí com 112 focos e Baixa Grande com 111. "A situação em Floriano ainda é mais preocupante, pois em relação aos outros dois municípios, a cidade de Floriano possui menor extensão territorial e concentra o maior número de focos de incêndio do Piauí", revela Gildenio Sousa.

Fonte: Rhauan Macedo