Focos passaram de cinco mil em 2008

As atividades econômicas impulsionaram as queimadas

As queimadas chegaram a 5.519 de janeiro a novembro deste ano, segundo os dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Em 2007, o n?mero de queimadas ficaram em 4.118, 21% a mais do que

as registradas em 3.376 em 2006. Francisco Celso Medeiros, coordenador estadual do Prev-Fogo, disse que nos ?ltimos dois ano aumentaram as queimadas porque o Estado enfrentou um per?odo seco muito intenso.

As atividades econ?micas impulsionaram as queimadas. De 1? a 31 de outubro foram registradas 2.495 queimadas no Estado e de 1? a 19 de novembro foram registradas 1.761 queimadas, de acordo com mapa divulgado pelo INPE.

O fogo atingiu este ano a Esta??o Ecol?gica de Uru?u?-Una, nos munic?pios de Baixa Grande do Ribeiro e Currais, destruindo 400 hectares de sua ?rea de 130 mil hectares. Na Esta??o Ecol?gica ainda vivem moradores

que fazem queimadas para suas lavouras e muitas vezes o fogo se espalha rapidamente. O inc?ndio no Parque Nacional da Serra das Confus?es tamb?m foi iniciado com uma queimada de prepara??o de terras para o

cultivo, mas fora da ?rea do parque.

No Parque Nacional Serra da Capivara houve amea?a de inc?ndio por causa da queima de lixo. O inc?ndio chegou a destruir 4 hectares e amea?ar o Museu do Homem Americano, em S?o Raimundo Nonato. A cultura de limpar a ?rea de plantio com fogo continua forte em todo o Piau?. ?Eu sempre achei que basta queimar para se limpar um terreno para a ro?a?, falou o agricultor Jos? Marques, do povoado Formosa, na zona

rural de Teresina.

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com