"Foi a maior bênção da minha vida", diz Oscar Schmidt após encontro com papa Francisco no Rio

"Foi a maior bênção da minha vida", diz Oscar Schmidt após encontro com papa Francisco no Rio

Emocionado, mas mantendo o estilo brincalhão, ele disse que preferia não dar detalhes da conversa com o papa

O ex-jogador de basquete Oscar Schmidt deixou o Palácio da Cidade, no Rio, sob forte emoção após encontrar-se com o papa Francisco.

"Foi a maior bênção da minha vida. Não tem palavras", disse aos jornalistas. O ex-atleta luta contra um câncer no cérebro e passou recentemente por uma cirurgia para retirar um tumor.

Emocionado, mas mantendo o estilo brincalhão, ele disse que preferia não dar detalhes da conversa com o papa. "Não falo nada que falei com o papa. É segredo. Vou ficar falando o que papa falou pra mim?", afirmou.

Ao encontrar Francisco, Oscar tirou o chapéu que usava e se colocou de joelhos para receber a bênção.

Segundo relatos de outras pessoas que acompanharam o encontro, o papa perguntou qual era o esporte de Oscar. Ao ser informado que era o basquete, Francisco fez o gesto do arremesso.

"Foi muito emocionante, é um símbolo do esporte brasileiro, que passa por um momento difícil com um otimismo incrível", disse o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), que apresentou o papa ao Oscar e outros atletas presentes.

Em maio de 2011, o Mão Santa --apelido que Oscar traz desde os tempos de atleta-- já havia retirado um nódulo esférico de 7 cm da cabeça, no início da luta contra o câncer.

Melhor jogador de basquete do Brasil em todos os tempos, Oscar foi bronze no Mundial das Filipinas, em 1978, campeão do Pan de Indianápolis, em 1987, e atuou em cinco Olimpíadas --tem o recorde de pontos: 1.093.

Hoje, o ex-atleta ocupa a maior parte do seu tempo com palestras.

O papa esteve no Palácio da Cidade na manhã desta quinta-feira, onde se encontrou com o Paes, o governador do Estado, Sérgio Cabral (PMDB), e o presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Carlos Arthur Nuzman.

No local, ele recebeu a chave da cidade e abençoou as bandeira olímpicas e paralímpicas. O Rio de Janeiro é sede das Olimpíadas de 2016.

Estavam presentes, entre outros, as jogadoras de vôlei Fabiana Alvim e Fabiana Claudino, o coordenador técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira e o velejador Lars Grael.

Fonte: UOL