‘Foi um júri exaustivo pelo tempo que durou’, diz juíza do caso Eloá

Milena Dias explicou por que não reagiu à ofensa de advogada de defesa


?Foi um júri exaustivo pelo tempo que durou?, diz juíza do caso Eloá
A juíza que comandou o julgamento de Lindemberg Alves falou pela primeira vez neste sábado (18). Milena Dias explicou por que não reagiu imediatamente a uma ofensa da advogada de defesa de Lindemberg, Ana Lúcia Assad.

Durante quatro dias, a atenção de todo o país esteve voltada para Milene Dias. A juíza foi quem condenou Lindemberg Alves a 98 anos e 10 meses de prisão, em um dos julgamentos mais longos da história de São Paulo. "Foi um júri exaustivo, sim, desgastante fisicamente pelo tempo que durou", disse.

A juíza, de 38 anos, presidiu mais de 500 julgamentos em 13 anos de magistratura. Durante o júri, a advogada de Lindemberg, Ana Lúcia Assad, disse à juíza que ela precisava voltar a estudar. Milena Dias disse que não reagiu à ofensa porque os jurados precisavam de um ambiente de serenidade para julgar o futuro do réu.

?Foi isso que me motivou o julgamento inteiro e que me fez tomar a decisão em relação ao ataque à minha honra e ao Poder Judiciário no momento adequado, ou seja, após a conclusão do julgamento?, esclareceu.

Milena Dias já pediu ao Ministério Público para investigar a conduta da advogada Ana Lúcia Assad e disse que a pena de Linedemberg foi adequada aos crimes que ele cometeu. "Ela atendeu aos anseios da sociedade, ali, naquele momento, representada pelos sete jurados que integraram o conselho de sentença", completou. Procurada por telefone pela reportagem do SPTV, Ana Lúcia não quis comentar sobre o caso.

Fonte: G1