Forte terremoto no Nepal e na Índia mata mais de mil pessoas e destrói cidades

"Os esforços de resgate ainda estão em andamento. Tememos que o número de vítimas suba à medida que os escombros sejam vasculhados", acrescentou.

Um forte terremoto de magnitude 7,8 estremeceu neste sábado (25) o Nepal e a Índia, informou o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos (USGS).

O número de mortos chegou a 1.170, informou o porta-voz da polícia do Nepal, Kamal Singh Bam, à agência de notícias France Press. Já a agência de notícias Reuters fala em 1.341 mortos, segundo um porta-voz da polícia. Desses, mais de 630 foram mortos no Vale de Katmandu e pelo menos 300 na capital do país.

"Os esforços de resgate ainda estão em andamento. Tememos que o número de vítimas suba à medida que os escombros sejam vasculhados", acrescentou.

"Há relatos de danos generalizados. A devastação não está confinana a algumas áreas do Nepal. Quase todo o país foi atingido", disse Krishna Prasad Dhakal, vice-chefe da missão na embaixada do Nepal, em Nova Déli.

Os tremores também foram sentidos no Paquistão, em Bangladesh, no Tibete e no Monte Everest, segundo a BBC. De acordo com a agência de notícias EFE, pelo menos onze pessoas também teriam morrido na China em consequência do terremoto.

 Uma garota morreu ao ser atingida por uma estátua em um parque da capital, Katmandu. Outra menina, de 15 anos, morreu no norte da Índia, soterrada em sua casa em uma aldeia perto da fronteira com o Nepal.

Há feridos nos dois países, muitos em estado grave, mas o número oficial não foi divulgado.

Segundo o Itamaraty, a comunicação com as autoridades no Nepal está muito ruim, mas até o momento não há informações de brasileiros mortos ou feridos. Uma equipe de funcionários da embaixada está fazendo uma busca nos hotéis e nas comunidades brasileiras para saber se precisam de ajuda.

 O tremor deixou um rastro de destruição em Katmandu. Há registros de danos em edificios e casas, especialmente nas construções mais antigas, e também em templos e monumentos.

A torre histórica de Dharara, erguida em 1832 na capital do Nepal, não resistiu ao tremor e foi totalmente destruída. Ao menos um corpo foi retirado dos escombros.

Milhares de pessoas deixaram seus lares e estão nas ruas da capital, com receio de que casas e prédios desmoronem.

Testemunhas disseram às agências de notícias que o terremoto durou entre 30 segundos e dois minutos.  

O sismo afetou as comunicações e abriu valas e rachaduras nas ruas e calçadas do Nepal, deixando uma nuvem de poeira pela cidade.

 Índia
O tremor sacudiu algumas regiões da Índia, principalmente o norte do país, desde Calcutá, Nova Déli, até a fronteira com o Paquistão. Ao menos seis pessoas morreram na Índia, cinco delas no estado de Bihar (noroeste), informaram autoridades.

O sismo ocorreu às 3h11 (de Brasília), a 77 km ao noroeste de Katmandu e a 15 km de profundidade. Inicialmente, o USGS registrou magnitude 7,5, elevada posteriormente a 7,9. Outras quatro réplicas menores atingiram o país logo após o terremoto mais potente.

Monte Everest
O forte terremoto desencadeou uma avalanche no Monte Everest. Segundo uma autoridade do Ministério do Turismo local, são ao menos 10 mortos. "O número de vítimas pode subir e incluir estrangeiros", disse à agência Reuters.

O alpinista romeno Alex Gavan disse no Twitter que havia muitas pessoas na montanha na hora da avalanche.

O montanhista cearense que está no Monte Everest, Rosier Alexandre, ligou para a família por volta das 7h30 da manhã deste sábado (25), após o terremoto. O montanhista conversou com a mulher e disse que está bem.

"Ele falou muito rapidamente, disse que está bem, mas não sabe como está a via de escalada", disse Danúbia Saraiva, mulher de Alexandre. O cearense está no campo 2 do monte, a 5.364 metros de altitude.



Fonte: G1