Fotografada em bueiro, menina Maria ganha presentes, mas ainda passará Natal nas ruas

Maria conheceu o apartamento e ficou deslumbrada quando viu água saindo da torneira.

O Natal de Maria, a menina de 6 anos fotografada banhando-se nas águas sujas de um bueiro no Centro da cidade, no início do mês, está sendo diferente dos anteriores: desde então, ganhou vários presentes, alguns de gente famosa, outros de pessoas que preferiram o anonimato, recebeu carinho e foi entrevistada em telejornais. Conheceu ainda Ana Maria Braga, ao participar do programa “Mais Você”, da TV Globo, encantou-se com o Louro José e ficou famosa no bairro onde mora, o Jardim Íris, em Vilar dos Teles, distrito de São João de Meriti. Porém, a noite de Natal de Maria será vivida da forma como está acostumada: nas ruas do Centro, acompanhando o pai, morador de rua, em busca de caridade natalina.

Nesta terça-feira, Maria estava radiante ao receber a equipe de reportagem do GLOBO na base do morro onde mora. Vestia sua roupa mais nova (camiseta branca, short e sandálias cor-de-rosa), que ganhou no domingo passado na Rua Uruguaiana, de uma mulher que distribui donativos no terceiro domingo de cada mês, contou a avó Raimunda Fernandes, de 66 anos.

— Você viu a minha sandália de saltinho? — perguntou Maria, vaidosa. — Nunca passei o Natal como costumam falar. Não sei como é. Vou passar o Natal com o meu pai. Ele está na rua. Vamos para o estacionamento.

Raimunda costuma ficar com o filho, José Roberto do Nascimento, de 37 anos, na noite de Natal. O estacionamento a que Maria se refere fica próximo ao Largo de São Francisco, onde dezenas de pessoas em situação de rua se reúnem para receber donativos.

— Eu não acho bom para ela. Não tem uma criança por lá. Só adultos que moram nas ruas. Mas não tenho condições de dar o que ela quer e precisa. Vamos ficar todos juntos. Mas por lá passa muita carreata — diz a avó da menina, referindo-se aos veículos que costumam distribuir comida e presentes de Natal. — A festa nesta época é muito boa. As quentinhas têm peru, frango e maionese.

TABLETS, BONECAS E BICICLETAS

Entre os presentes de Natal que Maria recebeu estão um tablet, duas bonecas, o boneco do Louro José e uma bicicleta, todos de Ana Maria Braga. Ela ainda não aprendeu a usar o tablet, mas pretende pedir ajuda na creche que frequenta. Nesta terça-feira, ao receber outro tablet, dado por um advogado que pediu para não ser identificado, Maria agradeceu e teve uma ideia.

— Obrigada pelo presente. Eu já ganhei um, mas posso dar este para alguém do morro. Para uma coleguinha minha — disse, antes de ser interrompida pela avó, que vai tentar vender o computador portátil.

Outro presente foram as chaves do apartamento no condomínio Ismael Silva, no Estácio, dentro do programa Minha Casa Minha Vida, recebidas pela avó Raimunda, na semana passada. — Eu tenho um quartinho. Ele vai ficar bem bonitinho — adiantou Maria.

A avó da menina mostrou as chaves do imóvel e disse que está à espera de condições financeiras para fazer a mudança:

— A gente não tem muita coisa, não, só uma geladeira e um fogão velhos. E uma cama quebrada. Mas a casa lá no Rio está toda vazia. Já tem água e, nesta terça-feira, parece que chegou a luz. A venda deste tablet talvez possa nos ajudar a mudar.

O sonho de Raimunda e Maria é que José Roberto vá morar também no condomínio. E ele poderá se realizar: em entrevista, o pai de Maria disse que pensa em se juntar às duas. Ele não conhece o imóvel que a família, expulsa em 2011 da invasão conhecida como Marítima, na área do Porto, ganhou na Avenida Frei Caneca, no Estácio.

— Se elas vierem aqui para perto, é claro que vou morar no conjunto — disse ele, que é alcoólatra e vive nas ruas do Centro, onde cata papelão. — Hoje, eu dou uma garimpada e, quando consigo R$ 20, compro bebida. Trabalho para beber. Mas sei que preciso sustentar minha filha. Ela não tem mãe nem poderá ter (a mãe da menina é usuária de crack e vive nas ruas da Gamboa).

Maria conheceu o apartamento e ficou deslumbrada quando viu água saindo da torneira. No Jardim Íris, Raimunda precisa buscar água numa bica de uso coletivo.

A história da vida de Maria começou a mudar no último dia 2, quando foi fotografada no bueiro que ficava atrás do Teatro João Caetano e foi fechado pela prefeitura. Ao ser publicada a foto ganhou as redes sociais, e Maria passou a ser procurada por agentes da prefeitura do Rio, de São João de Meriti e do Conselho Tutelar.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: O Globo