Frota de táxis atende apenas 30% dos clientes de Teresina

Frota de táxis atende apenas 30% dos clientes de Teresina


Atualmente, fazer uso de táxi em Teresina não é uma tarefa fácil, e se a solicitação desse serviço for em horário de pico em dias de chuva ou mesmo no turno da noite é uma verdadeira missão impossível. Isso porque apenas 30% da população teresinense é atendida. A frota de táxis não atende a demanda, que tem aumentado a cada dia.

Segundo dados do IBGE de 2014, Teresina possui 840.600 habitantes em uma área de 1.392.000 km², isto é, o número de pessoas que necessitam desse serviço avançou, porém a frota não acompanhou esse crescimento. E são de idosos, trabalhadores, mães com bebê no colo a pessoas com problemas de saúde, que necessitam e vêm reclamando da falta de táxis na cidade. Existem apenas 1.556 taxistas com alvarás em atividade, estando previsto para serem liberados mais 446 novos alvarás.

De acordo com Antônio Barbosa, presidente do Sindicato dos Taxistas do Piauí, nem mesmo a liberação desses alvarás será suficiente para atender a capital. “Infelizmente, apenas 30% da população são atendidas. Mas o que queremos é que possamos atingir pelo menos 70%. Hoje, estamos com o total de 1.556 taxistas com alvarás e ainda serão liberados 446 novos alvarás, somando 2.002 alvarás. Ainda assim, não será suficiente para atender a todos os usuários de táxis. Isso porque nem todos os taxistas que possuem alvarás, fazem uso do mesmo para atender a população”, explica Antônio Barbosa.

40% dos taxistas usam indevidamente os alvarás

Há mais de 10 anos, era bem mais simples ao taxista ganhar o alvará, que autoriza a exercer a função e ainda fornece benefícios que facilitam o trabalho. Atualmente, quem busca a liberação de um alvará tem que passar por um processo bastante burocrático. A liberação só é possível após a aprovação do Conselho Municipal de Transporte e, em seguida, a análise da prefeitura de Teresina, que tem o poder de liberar ou não. Por este motivo, em torno de 700 pessoas, em situação de filiadas ao sindicato, esperam por esta liberação, a fim de atuar no mercado em Teresina.

De acordo com Antonio Barbosa, presidente do Sindicato dos Taxistas, do total de 1.556 taxistas com alvarás na capital, apenas 1.200 estão exercendo a função de taxista e os demais, o que representa 40% do total, estão utilizando, de maneira indevida, isto é, para seu uso próprio, sem servir a sociedade. "Atualmente, é bem mais difícil de se conseguir um alvará. Diferente de como era há mais de 10 anos, quando o sindicato não atuava muito quanto à fiscalização. Hoje são 40% dos taxistas que não trabalham na praça. Quem está nesta situação são pessoas com um bom poder aquisitivo, que compram carros com os benefícios do governo, assim como os IPI, ICMS e IPVA gratuitos, fazendo uso particular e sem servir a sociedade", declara o presidente do Sindicato dos Taxistas.

Para solucionar a problemática de usos inadequados de alvarás de táxis, o sindicato, em parceria com a Prefeitura de Teresina e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), vai fiscalizar melhor as atividades desses profissionais, é o que garante Antonio José. "Estamos trabalhando em conjunto. Passaremos a fiscalizar melhor a saída dos novos alvarás, que deverão ser de fato usadas para servir à população. Quanto a quem já passou mais de dois anos de serviço, e não exerce a função de taxista, não se pode mais fazer nada, não há lei que vai impedi-los de fazer isso. Temos que nos alertar para os novos alvarás", destaca o presidente do Sindicato dos Taxistas.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele - Jornal MN