Galerias ameaçam destruir ruas e casas na zona Sudeste de Teresina

Um conjunto de quatro galerias na zona Sudeste de Teresina ameaça a estrutura de ruas e residências

Um conjunto composto por quatro galerias a céu aberto é considerado o maior pesadelo dos moradores da Vila Andaraí, zona Sudeste de Teresina. Em razão do mau uso da estrutura a água suja, repleta de dejetos e lixo, atravessa os terrenos das casas deixando as residências comprometidas, tanto que um buraco já se abriu no meio da rua denunciando o descaso.

Durante o temido período chuvoso, o lixo entope os canos, provocando enchentes que tiram muitos moradores de dentro de suas próprias casas.
A maior e que traz mais incômodo é a que fica localizada na Rua 6, quadra D, local onde o buraco abriu.

Os moradores aterraram com pedras e areia para amenizar a situação, mas ao que parece a população da Vila Andaraí está diante de uma tragédia anunciada. Além disso, o local é um verdadeiro viveiro de moscas, ratos e várias pragas, que aparecem pelo rastro malcheiroso que escoa das galerias.

Para Francisco Paiva Lima, liderança comunitária da região da Vila Andaraí, a situação está grave, mas não por falta de reclamações. A população já pediu um encaminhamento à SDU Sudeste, mas até o presente momento não foi feito nada para resolver a questão: “Aqui quando chove alaga tudo, fica tudo cheio. Principalmente agora que está cedendo. Isso já tem dois anos, e a única coisa que nos dão são promessas e nenhuma solução”, explica.

Na opinião de Francisco, a galeria está cedendo porque não há uma estrutura que possa suportar o peso dos carros que passam pela rua: “Eu acho que o projeto que eles fizeram não previa que passassem carros pesados na via, porque essa galeria aqui da Rua 6 não tem baldrame.

Por isso que a galeria cedeu e a água está passando por baixo da rua, está para afundar com tudo, junto com as casas próximas. Do buraco aberto na rua dá para ver”, relata a liderança comunitária.

De acordo com o líder comunitário, a região está no Orçamento Popular: “O que pedimos é que eles façam alguma coisa, porque essas ruas é para ser beneficiada com o Orçamento Popular. Dá para pelo menos eles pegarem um pouco desse recurso e fazer alguma coisa para que a rua não afunde de uma vez e leve nossas casas”, diz.

Lama invade casas durante as chuvas

Além do buraco aberto no meio da rua, que deve se agravar no período chuvoso, outra preocupação dos moradores é a iminência de ter a casa invadida pela lama mais uma vez:

"Na última chuva a água passa por cima da rua. A lama deu no joelho e invadiu minha casa, tem até a marca na parede até hoje. Perdi dois colchões nessa brincadeira. E isso acontece porque a galeria não dá vencimento da água", explica Francisco Paiva Lima.

Após a construção de um condomínio, parte da galeria foi aterrada, o que faz com que a vazão da água não escoe para dentro da galeria, mas sim para a rua e as casas:

"Agora a situação piorou ainda mais porque foram construir um condomínio lá pra cima e jogaram os aterros na galeria da frente, que junto com o mato que se formou lá não tem mais com segurar a água, e acontece de transbordar e invadir as casas do pessoal", finaliza o líder comunitário da Vila Andaraí.

Galerias devem ficar prontas em agosto de 2015

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) da zona Sudeste de Teresina reconhece os problemas trazidos pela galeria à população da Vila Andaraí.

Mas, segundo Marcos Rogério Ribeiro, gerente de obras da SDU Sudeste, todas as galerias - no total são 4 - estão em fase de análise e projeto de engenharia: "Todas aquelas galerias estão em projeto. Estão analisando para onde vai passar o transcurso da galeria. Após essa finalização, ele será encaminhado pro orçamento e depois para a licitação", declara.

Ainda de acordo com Marcos Rogério, após o processo licitatório, as obras devem ser iniciadas com o fim do período chuvoso. Em uma estimativa apontada, as galerias devem estar revitalizadas até agosto, no máximo:

"Infelizmente não dá para construir galerias durante o período chuvoso, então essas obras devem ser iniciadas em meados de abril e maio. Uma obra dessa magnitude tem período médio de 60 a 90 dias", finaliza o gerente de obras.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Lucrécio Arrais