Governo prepara Nova Ceapi e garante VLTs para 2017

Criação de uma via que possibilita um melhor escoamento

O Governo do estado do Piauí prevê duas importantes obras para os próximos meses. Uma delas está relacionada ao melhoramento no fluxo de mercadorias, com a abertura de uma nova via de acesso à Central de Abastecimento do Piauí (Ceapi), e a outra diz respeito à implantação de um sistema de Veículos Leves Sobre Trilhos (VLTs) na capital, previsto para ser licitado no início de 2017. As ações foram discutidas em audiência entre o governador Wellington Dias e a Superintendência de Parcerias e Concessões do Estado do Piauí (Suparc).

Sobre as obras na Ceapi, a audiência aprovou a criação de uma via que possibilita um melhor escoamento dos produtos na central. A medida está dentro do projeto de reforma da unidade, denominado de Nova Ceapi.

“Trata-se de uma avenida no entorno da Ceasa. Hoje temos um fluxo tanto para a saída quanto para a entrada exclusivo a partir da BR 316, que vai em direção ao Sul do Piauí, em direção ao sul do Brasil, ali na região do Saci. Estamos viabilizando uma outra via na avenida na lateral da Ceapi. O objetivo é dar as condições e priorizar os atuais empreendedores, dando maior conforto, maior condição de gestão, colocando a nossa Ceapi de volta a um patamar cada vez mais potente no meio norte do Brasil, abastecendo não somente o Piauí, mas o Maranhão, o Ceará, o Pará e outras regiões do país”, declarou Wellington Dias.

A obra na Ceapi vai alterar a portaria da central melhorando o acesso, inclusive dos próprios atacadistas, que disputam o fluxo da via com caminhões das transportadoras. “A ideia é que com essa nova portaria e com o novo acesso pela lateral a gente não só tenha condição de melhorar a entrada e saída, o embarque e o desembarque de carga e descarga de mercadoria, mas também para que viabilizemos um melhor acesso para à Avenida Maranhão, facilitando o escoamento da produção, e a saída dos produtos para comercialização para Timon e seguindo na BR 222”, explica a superintendente da Suparc/Segov, Viviane Moura.

O projeto de reforma da Ceapi, que teve a aprovação do Conselho Gestor das Parcerias Público Privadas (PPP), propõe também a construção de um espaço exclusivo para o mercado atacadista, mais organizado, estruturado, composto de boxes de varejo específicos, além de espaços para restaurantes, praça de alimentação, lojas e boxes para produtos diversos. O novo mercado ainda terá estacionamento próprio para os consumidores e comerciantes, depósitos específicos para os vários setores e ambiente climatizado.

O propósito do governo do Estado é transformar a Central de Abastecimento do Piauí num grande centro de distribuição, comercialização e abastecimento de gêneros alimentícios do Nordeste.

De acordo com o governador, faz parte dos próximos planos do Estado para o setor de comércio, investir ainda na descentralização dos centros de distribuição e de abastecimento de alimentos em outros municípios piauienses. “Estamos trabalhando uma nova unidade em Picos. Será um mercado e junto com ele haverá uma base de distribuição com um primeiro módulo, para que Picos possa se consolidar como um centro de abastecimento”, garante.

A perspectiva do governo é de que, a médio prazo, outras cidades com essa mesma vocação e viabilidade para o abastecimento alimentício possam receber obras nesse setor. “A medida que o Estado vai sendo integrado por estradas, com outros municípios de outros estados vizinhos, isso nos dá um ganho especial nessa área do comércio atacadista casado com o fortalecimento do comércio varejista, uma área que representa cerca de metade da nossa economia então quanto mais investirmos nela, melhor”, explicou Dias.

VLT
Sobre o projeto de implantação dos VLTs em Teresina, a Suparc adianta que a partir de setembro a equipe responsável pelo estudo das obras deve começar efetivamente a desenvolver os trabalhos de modelagem técnica e econômico-financeira do projeto.

“Até dezembro, janeiro, a gente tem um desenho e a ideia é que este estudo esteja todo pronto no máximo em fevereiro. Aí a gente vai para o processo licitatório e início de obra. No primeiro semestre de 2017, estaremos com licitação na rua e, depois, será o início de obra”, afirmou a superintendente da Suparc.

Fonte: Com informações do Portal do Governo