Governo projeta reduzir em 20% gastos com passagens aéreas

Governo do Estado contratou novas empresas através de licitação

Em consonância com a política de redução de gastos adotada pelo Executivo nos últimos meses, o Governo piauiense ampliará o rol de iniciativas, pautando-se na dinamização econômica e a otimização das despesas. A pauta abarcada diariamente pelos gestores das pastas estaduais atende a determinação do governador Wellington Dias (PT), viabilizando investimentos primordiais nas mais distintas áreas.

Nesse estreitamento se difunde, o corte no custeio, que chegou a atingir 20% em 2015. Agora, as ações se difunde diante da diminuição dos gastos com passagens áreas pelos órgãos do Poder, nisto, inclui-se a participação específica da Secretaria de Administração e Previdência (Seadprev), que conduzirá os trabalhos nesta direção.

A medida funcionará a partir da contratação dos serviços de agenciamento de viagem mediante licitação, obedecendo ao extrato de registro de preços já disponibilizado no Diário Oficial. No geral, 53 órgãos participaram do processo e eventuais não participantes também puderam aderir à ata. Cabe ressaltar, que o último procedimento do tipo havia sido feito em 2009.

Com o resultado da iniciativa, a Secretaria indicou que 11 empresas sediadas em Teresina foram as vencedoras, estabelecendo assim o valor máximo de cobrança do serviço para cada operação, no caso, R$ 147,90. Em comparação com o valor médio demandado no ano passado (R$ 187,70); o secretário Franzé Silva fez um balanço percentual do montante que será economizado pelo Governo do Piauí. “Estamos conseguindo uma economia de cerca de 20%”, declarou.

CONTAS – A atenção conferida ao custeio pode ser explicada pelo momento de recuperação que vive a economia piauiense, com a expectativa de crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) e as medidas para alavancar a geração de emprego e renda, a preocupação se difunde diante da manutenção dos índices impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de modo que os recursos provenientes de convênios não sejam travados. “Precisamos ter muita cautela”, indicou o secretário de Fazenda, Rafael Fontelles na apresentação do balanço do último trimestre.


Image title

Fonte: Francy Teixeira - Jornal MN