Grávida sofre aborto, toma pílulas abortivas, mas um dos bebês sobrevive

Grávida sofre aborto, mas um dos bebês sobrevive

O nascimento da bebê Megan Hui, de quatro meses, tem sido considerado um verdadeiro milagre no Condado de Kildare, na Irlanda. Em julho do ano passado, Michelle Hui, de 31 anos, ficou arrasada quando os médicos disseram que ela tinha sofrido um aborto espontâneo e perdido o bebê que esperava. Porém, um exame feito dez dias depois revelou suaves batidas de um coração, mostrando que a bancária teria gêmeos e que uma das crianças havia sobrevivido não apenas ao aborto, como também a duas pílulas abortivas. As informações são jornal britânico ?Daily Mail?.

No dia 19 de julho do ano passado, Michelle estava andando até uma estação de trem próxima de casa quando começou a sofrer um aborto espontâneo. Os médicos mandaram a bancária ir direto ao hospital, onde dois médicos fizeram cinco exames e concluíram que ela não estava mais grávida. Michelle recebeu duas pílulas abortivas e, após passar uma noite internada, foi liberada para ir para casa com o marido, o vendedor Ross, de 33 anos.

"Depois que eu perdi o bebê, saí com amigos e bebi uma garrafa e meia de vinho. Eu nunca faço isso, mas estava arrasada", disse ela.

Dias depois, foi informada que precisaria voltar ao hospital para passar por uma curetagem, procedimento médico para limpar os restos do aborto. Quando estava no hospital para essa cirurgia, os médicos perceberam que ela ainda esperava uma das crianças.

"O aborto foi absolutamente horrível. Os dez dias entre o aborto e voltar para o hospital eram apenas um borrão. Quando soube que tinha que ir para outro procedimento, fiquei arrasada. Então, eu vi esse pequeno coração e pensei que não poderia ser verdade. Depois de tudo o que eu tinha passado, eu não queria ter esperanças", contou.

Durante o exame, o médico chegou a chamar outro profissional mais experiente que confirmou a gravidez da bancária. "Os médicos disseram que era uma bênção. Eles nunca ouviram falar de nada parecido. Alguém estava olhando por nós".

Megan nasceu em 25 de fevereiro deste ano e foi batizada com esse nome que significa ?lutadora forte?. Michelle e o marido também são pais de Mya, de 4 anos, e Noah, de 2.

"Ela é a nossa pequena lutadora. Meu pequeno milagre. Foi uma época muito difícil, mas agora temos uma menina preciosa e saudável", disse a bancária.


Grávida sofre aborto, toma pílulas abortivas, mas um dos bebês sobrevive

Grávida sofre aborto, toma pílulas abortivas, mas um dos bebês sobrevive

Fonte: Extra