Greve atrasa mais de 200 mil encomendas em Floriano-PI

Na porta dos Correios da cidade, os carteiros continuam com a paralisação

A Empresa de Correios e Telégrafos já deixou de entregar cerca de 200 mil correspondências em Floriano, desde o início da greve dos trabalhadores da empresa, iniciada em 30 de janeiro, segundo o Sindicato dos Servidores dos Correios no Piauí, mas de acordo com a Diretoria dos Correios em Floriano, o número de correspondências não entregues é de 40 mil.

Na porta dos Correios da cidade, os carteiros continuam com a paralisação, o que prejudica a população. ?As minhas contas nunca chegaram em casa e vão atrasar, com medo, tive que vir até aqui a agência para pega-las?, conta a empregada doméstica Maria da Guia.

Há 27 dias de greve, a diretoria dos Correios revela que das 51 agências do Piauí, apenas a da cidade de Floriano está parcialmente em greve. Dos 29 trabalhadores da agência, seis estão afastados, 16 aderiram a greve e somente sete estão trabalhando.

Na agência de Floriano o atendimento ao público segue sendo feito normalmente. Durante a semana acontece a entrega de objetos especiais, malotes, sedex, cartas registradas e encomendas. Para atender a demanda, os Correios estão remanejando os carteiros de outros municípios para a cidade e os funcionários estão trabalhando duas horas a mais diariamente. Nos fim de semana são feitos mutirões para entrega de correspondências simples.

?Todo serviço que o Correios presta de atendimento público está ocorrendo normalmente. Quanto a prioridades nas postagem, em algumas não são cumpridos os prazos por conta da paralisação?, disse Hiamara dos Santos, gerente do setor de distribuição dos Correios de Floriano.

A categoria está em greve por conta de mudanças propostas pelo Correios no plano de saúde de seus servidores.


Greve atrasa entrega de 200 mil correspondências em Floriano

Fonte: Floriano News