Greves causam queixas entre a população de Teresina;veja

Duas greves vêm ganhando destaque e impactando diretamente toda a população: a dos bancários e dos Correios

Em busca de melhores salários e condições de trabalho, as categorias paralisaram para tentar consolidar os benefícios que são de direito da classe. O movimento grevista, no entanto, interfere no cotidiano da população e as queixas são inúmeras. A dos bancários, por exemplo, interrompeu até o fornecimento de gás no município de Santa Cruz dos Milagres.

É o que relata Joaquim Araújo, que acompanhava a mãe, Marta Cruz, para pagar o boleto de compra de botijões de gás de cozinha, o GLP (gás liquefeito de petróleo).

Segundo ele, o único ponto de venda regularizado na cidade é o de sua família, que não consegue comprar mais gás, porque o boleto não pode ser pago nos caixas eletrônicos por ultrapassar o valor de R$ 4.500,00.

Como as agências bancárias não possuem funcionários nos caixas, eles não conseguiram realizar o pagamento. Marta ficou bastante nervosa e até chorou porque a cada dia que passa sem pagar esta conta o juros aumenta.

Ela conta até que entrou em contato com a distribuidora do gás para explicar que o pagamento ainda não havia sido realizado por conta da greve. No entanto, eles apenas emitiram um novo boleto com os juros atualizados.

"Não estamos conseguindo efetuar o pagamento e a empresa fornecedora não está se importando com a situação. Já faz dois dias que Santa Cruz está sem gás.

E é porque é uma cidade turística que recebe 150 mil pessoas por mês", observa Joaquim, que afirma compreender os grevistas, mas que está revoltado com a empresa que não consegue entender a situação de exceção, ocasionada pela greve, posto que sua mãe sempre pagou as contas devidamente.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários, José Arimatea, essa situação vai permanecer, porque os banqueiros ainda não sinalizaram nenhum avanço nas negociações.

Ele informa que a cada dia o movimento grevista se fortalece e que 9.015 agências de todo país estão paradas. Ele acrescenta que a categoria dos bancários é a que mais sofre por continuar sendo desprezada pelos banqueiros.

Correios têm menos impacto, mas causam transtornos

Apesar da pouca adesão da categoria, a greve dos Correios também está afetando a população. Sobretudo no que diz respeito às encomendas. Hermani Pereira de Oliveira que aguardava o recebimento de uma encomenda internacional, relata que ela deveria ter chegado em 10 dias e chegou só ontem, 20 dias depois do que ele esperava.

Com a demora ele informa que perdeu oportunidades comerciais.

Os Correios entregaram neste final de semana (21 e 22) 70.188 cartas e encomendas no mutirão realizado em Teresina. Cerca de 172 trabalhadores participaram nos dois dias.

Nacionalmente, 93,05% dos empregados (115.814) estão trabalhando normalmente. Entre os empregados da área operacional (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo), o índice de trabalhadores presentes é de 91,77%.

No Piauí, 85,43% dos empregados estão trabalhando normalmente, o que corresponde a 1.431 colaboradores. O número é apurado por meio de sistema eletrônico de presença.

A rede de atendimento está aberta em todo Brasil e todos os serviços, inclusive o SEDEX e o Banco Postal, estão disponíveis - com exceção da postagem, entrega e coleta de encomendas com hora marcada nos locais com paralisação deflagrada.

Em São Paulo, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Norte e Bauru/SP não há paralisação, pois os Correios já realizaram acordo na quarta-feira.

Fonte: Vicente de Paula