Grupo é preso por aliciar menores em festa regada a drogas e álcool

Na casa, onde funcionava um estúdio, foram encontradas drogas, munição e vídeos com pornografia.

Oito homens foram presos e dois menores apreendidos por participarem de uma festa regada a drogas e álcool em uma casa no Bairro São Benedito, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo Polícia Militar (PM), no imóvel funcionava um estúdio e foram encontrados vídeos com pornografia, apologia a drogas e ao crime.

De acordo com o soldado Carvalho do 35º Batalhão da PM, a corporação recebeu uma denúncia anônima na madrugada desta quarta-feira informando sobre a venda de drogas em um bar. O responsável pelo tráfico seria Daniel Soares da Cruz, 22, vulgo ?Cofrinho?, que já é conhecido dos militares por envolvimento com outros crimes. A PM foi até o local informando na denúncia, porém não foram encontradas drogas com Daniel. Conforme o soldado, o suspeito disse que estava aguardando a namorada, mas entrou em contradição durante a entrevista com os policiais.

A PM descobriu que ele estava participando de uma festa em uma casa na Rua Pará. Ao chegar no local, a polícia encontrou um casal menores de 15 anos que estava embriagado e havia sido filmado fazendo danças sensuais. Sete homens que estavam na casa foram flagrados e com eles a polícia apreendeu um quilo de cocaína, além de munição calibre 22.

Todos foram encaminhados para a Delegacia de Santa Luzia, inclusive os menores. Os homens devem responder por aliciamento desses adolescentes. Entre os presos está Cássio Alberto de Assis, 37, que é dono do estúdio. Ele alegou que não tem envolvimento com tráfico e que os menores foram para a casa por vontade própria. Disse ainda que apenas grava e edita vídeos, não sendo responsável pelos conteúdos. Entre as filmagens havia músicas de funk cuja a letra, segundo a PM, incentiva a criminalidade. Foram apreendidos computadores e uma câmera no estúdio.

Segundo o soldado Carvalho, Daniel já tem passagens na polícia por tráfico de drogas e porte ilegal de armas. Cássio também tem registros relacionados à pirataria.

Fonte: Estado de Minas