"Guinness World Records" confirma recorde de piloto brasileiro que deu volta ao mundo

"Guinness World Records" confirma recorde de piloto brasileiro que deu volta ao mundo

Aviador de 21 anos bateu marca de mais jovem a concluir o feito.

O "Guinness World Records" confirmou o recorde do piloto brasileiro Walter Toledo, de 21 anos, como a pessoa mais jovem a dar a volta ao mundo, em menos tempo, a bordo de um monomotor. A expedição "Brasil Voando Alto" começou no Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas (SP), e durou 60 dias. Ele iniciou oficialmente a viagem determinada pelo livro dos recordes no dia 8 de julho e concluiu o trajeto definido em 29 de agosto, quando pousou em Miami (EUA). Depois disso, o comandante retornou ao Brasil.

Até então, a marca pertencia ao jamaicano Barrington Irving, que aos 23 anos completou a viagem em 97 dias, em 2007. O recorde de Walter Toledo foi atualizado na página na internet do Guinness após a resposta oficial divulgada há uma semana. O piloto aguarda o envio do certificado do Guinness. A marca estará registrada na edição 2014 da publicação impressa, já que a 2013 está nas livrarias.

Para comprovar a viagem, o piloto elaborou um dossiê com os planos de voos carimbados pelas autoridades aeroportuárias locais, o que comprova a passagem dele por cada ponto, além do passaporte, projeto completo da expedição, fotos, vídeos e uma série de documentos que comprovassem o percurso.

O piloto também lançará na quarta-feira (19) um livro de fotos da expedição Livraria da Villa, no Galleria Shopping, em Campinas. As imagens foram escolhidas com a ajuda de internautas pela página da expedição em uma rede social.

Início em Campinas

O desafio de realizar a volta ao mundo teve início no Aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas, no dia 3 de julho. Walter Toledo percorreu cidades do Brasil, Granada, Estados Unidos, Canadá, Groenlândia, Islândia, Escócia, Inglaterra, França, Alemanha e Rússia. Ele concluiu a viagem quando tinha 20 anos.

Durante o percurso, ele percorreu 40,8 mil quilômetros e passou por 37 aeroportos de 12 países. Além disso, foram necessários 8,9 mil litros de combustível para 126 horas de voo, superar a burocracia do governo russo para abastecer a aeronave, além de aguardar pela passagem do furacão Isaac para retornar ao Brasil.

Durante a preparação para a volta ao mundo, o piloto realizou em maio uma viagem experimental para as Ilhas Malvinas, na América do Sul. A viagem durou quatro dias, sendo 28,5 horas de voo, para identificar possíveis dificuldades burocráticas na permissão de operação que podem ocorrer durante o projeto.

Fonte: G1