Hemopi contabiliza mais de 34 mil doadores de medula óssea no Estado do Piauí

Para ser doador, a pessoa deve estar em uma faixa etária de 18 a 55 anos

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (Hemopi), da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí (Sesapi), contabiliza até hoje 34.543 doadores de medula óssea em seu cadastro, informou Hortência Rocha, supervisora de coleta externa.

Ela disse que, para ser doador, a pessoa deve estar em uma faixa etária de 18 a 55 anos, ter boa saúde, portar documento de identidade, realizar o exame de histocompatibilidade (HLA). O resultado do exame passa a fazer parte de um banco de dados mundial.

Se o doador for compatível com algum paciente, será convidado a doar. A supervisora disse que o doador é quem decide sobre a doação sem o conhecimento de sua identidade pelo paciente.

Ela informou que os riscos são praticamente inexistentes para o doador de medula óssea e que até hoje não há relatos de nenhum caso de acidente grave neste tipo de procedimento.

A medula óssea é um tipo de líquido encontrado no interior dos ossos, responsável pela produção dos componentes do sangue, incluindo os glóbulos brancos, as células mais importantes do sistema de defesa do organismo, que é diferente da medula espinhal.

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para quem tem doenças como leucemia e aplasia medular. É muito difícil encontrar um doador compatível, mesmo na família. A chance é de 1 em 100 mil.

Por isso, é que, em todo o Piauí, estão sendo organizados mutirões para cadastramento de doadores, com um simples exame de sangue para coletar dados genéticos e armazenar em um banco de dados mundial. Informações para doação

Fonte: CCOM