Bêbado atropela motociclista em THE

As pessoas que passavam pelo local expressaram grande revolta com a irresponsabilidade do motorista.

O motorista Luis Henrique Carvalho Silva, visivelmente embriagado, atropelou o motoqueiro Francisco Rodrigues da Silva ontem (30), próximo à ponte que liga a região do Grande Socopo ao Poty Velho. A vítima, que sentia dores por todo o corpo, foi socorrida pelo SAMU.

Havia manchas de sangue no carro cor branca, placa NHY ? 8314. A moto de Francisco é preta, com placa NHZ ? 1376.

As pessoas que passavam pelo local, principalmente motoqueiros, expressaram grande revolta com a irresponsabilidade do motorista. Em alguns momentos houve princípio de tumulto, pois Luis Henrique se mantinha muito agitado e discutia com as outras pessoas. ?A gente fica revoltado porque poderia acontecer com qualquer um de nós?, afirma Alberci Pereira Dias.

Ao ser criticado, o homem tentava se defender dizendo que não tinha fugido e alegava que a vítima estava com brincadeiras na frente do veículo, o que teria causado o acidente. ?Eu estava bebendo há menos de duas horas e nem era cachaça, mas cerveja?, tenta justificar o homem.

Ele ainda se ofereceu para levar Francisco ao hospital, mas foi impedido pelo agente da Polícia Rodoviária Estadual. ?Na situação que o senhor está, não pode nem pegar na chave de um carro, imagine socorrer alguém?, respondeu o cabo Valmir Rodrigues.

Mesmo estando visível a embriagues, os policiais esperavam a chegada do etilômetro para verificar o nível de álcool no sangue do condutor. Segundo eles, Luis Henrique deve ser encaminhado à Central de Flagrantes.

O veículo pertencia à irmã, Maria José Carvalho. Segundo ela, o homem tinha saído apenas para lavar o carro, há dois quarteirões de casa. ?Ele não estava bêbado quando passou por mim. Agora encontro nessa situação?, lamenta Maria, garantindo que vai pagar o prejuízo do motoqueiro.

Ela chegou ao local do acidente acompanhada de mais duas pessoas da família. Todos estavam muitos nervosos. Uma das mulheres, também irmã de Luis Henrique, chegou a bater nele com uma sandália. ?Você faz uma besteira dessas e quem vai ficar com o prejuízo sou?, gritava ela.

Durante o tempo que a nossa reportagem esteve no local, os agentes da Ciptran não havia chegado com o equipamento para realizar o teste do bafômetro e Luis Henrique perguntava se já poderia ir embora. ?Você devia estar era algemado?, respondia a população.







FOTOS: JOSÉ ALVES FILHO

Fonte: Nayara Felizardo