Homem tem que provar que está vivo para se aposentar

Francisco trabalha com frete de veículo, está separado da ex mulher há mais de 20 anos e solicitou aposentadoria por idade e tempo de serviço.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA (24) DO JORNAL MEIO NORTE.

Há oito meses o idoso Francisco das Chagas Oliveira Filho, de 65 anos de idade, tenta se aposentar e não consegue, porque para a Previdência Social ele está morto. Há 20 anos, uma mulher, que seria a viúva, recebe uma pensão pela morte do marido. Agora, para conseguir o benefício, ele precisa provar ao órgão que está vivo.

A irmã de Francisco, Lucelene Rodrigues de Oliveira, conta que o pedido de aposentadoria foi negado e quando ele foi chamado ao local, explicaram o caso a ele. ?Quando ele chegou lá, disseram que ele era tido como morto e que essa ex mulher dele está recebendo a pensão. Nós não entendemos o que aconteceu. No próprio INSS, nós fomos aconselhados a procurar os meios legais para tentar conseguir a aposentadoria, mas não temos dinheiro para contratar um advogado e agora não sabemos o que fazer. Enquanto isso, meu irmão está precisando da aposentaria?, disse.

Francisco trabalha com frete de veículo, está separado da ex mulher há mais de 20 anos e solicitou aposentadoria por idade e tempo de serviço. Lucelene conta que a família já entrou em contato com a ex mulher de Francisco, para pedir esclarecimentos. ?Ela disse apenas que é para nós procurarmos a justiça e que se ela precisar nos devolver tudo, ela fará isso?, comentou.

O gerente executivo do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Piauí, Carlos Augusto Viana, explica que o caso está sendo investigado pelo INSS e que, pelos indícios, a ex mulher de Francisco forjou sua morte, para poder ter acesso ao benefício. ?As investigações estão sendo realizadas pelo INSS no Maranhão, onde ela solicitou o benefício. Nós já pedimos agilidade no caso, para que, se comprovado o crime, Francisco possa logo conseguir sua aposentadoria?, disse.

Fonte: Pollyana Carvalho