Hospital de Urgência de Teresina é adaptado para iniciar reforma na sua infraestrutura

A obra afetará 30% da área física hospitalar e do pronto atendimento, por isso, o único atendimento feito será voltado para vítimas de traumas

Começou na manhã da segunda-feira (06), a primeira etapa da reforma e ampliação do Pronto Atendimento do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), que tem previsão para ser concluída em seis meses. Tal situação não interrompe total o funcionamento, que está ocorrendo na recepção da administração.

Para que o espaço da administração do HUT funcione dentro da normalidade, como um pronto atendimento, está ocorrendo as devidas adaptações, como pinturas, manutenções, instalações dos equipamentos, dentre outras. É o que explica Gilberto Albuquerque, diretor-geral do HUT.

“Para que funcione bem, requer adequações, principalmente, as físicas que é o que vamos fazer agora, que começou ontem e vai no máximo até hoje. Claro que teremos transtornos, com a reforma, perderemos o total de 30% da área física hospitalar e também todo o nosso pronto atendimento. O único atendimento feito será apenas voltado para vítimas de traumas”, explica o diretor-geral do HUT.

Segundo Gilberto Albuquerque, a reforma visa melhorias quanto ao atendimento dos pacientes vítimas de traumas, dentre eles estão novos leitos individuais e de UTIs, setor de esterilização e lavanderia.

“Os benefícios que teremos com essa reforma, que continuará a atender apenas a vítimas de traumas, são 51 novos leitos individuais, 20 leitos de UTI, sala de trauma e uma melhor ambientação nas recepções e consultórios.

Fazem parte também da reforma e ampliação: o setor de esterilização e lavanderia, revestimento das paredes de todo hospital, além da climatização dos postos de enfermagem. Após esta reforma, terá início a construção do terceiro piso do projeto, que terá 65 leitos para pacientes que não são de UTI”, esclarece diretor-geral do HUT.

Pacientes clínicos não serão mais atendidos pelo HUT

Durante e após a reforma, o HUT só realizará atendimentos para pacientes vítimas de traumas. Enquanto que os pacientes clínicos deverão ser encaminhados a hospitais como Hospital Getúlio Vargas, Hospital Universitário, Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela, Hospital da Polícia Militar e Clínica Infantil.

"Com a reforma, algumas mudanças ocorreram. Tínhamos dois tipos de pacientes, os clínicos e os cirúrgicos, que são vítimas de traumas e que estes atenderemos normalmente, já os demais pacientes, deverão se dirigir aos oito hospitais em Teresina e mais 86 no interior", esclarece Gilberto Albuquerque, diretor-geral do HUT.

Após a reforma do HUT, haverá uma reorganização da rede hospitalar em Teresina, no qual será definido o papel e funcionalidade de cada unidade hospitalar.

O HUT atende um público diário entre 200 a 250 pessoas por dia. Sendo que do total, 30% é de Teresina e 70% vem de municípios do estado, de Timon/MA ou ainda do Pará.

 

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele