Hospital diz inovar e capacita enfermeiros no local de trabalho

O curso “Atualização e Prática em Enfermagem” tem duração de 40 horas.

O Hospital Mariano Castelo Branco, localizado na Santa Maria da Codipi (zona Norte de Teresina), está realizando um curso de aperfeiçoamento profissional com seus técnicos de enfermagem e enfermeiros. Segundo a gerente de enfermagem da unidade hospitalar, Gabriela Matos, o curso surgiu de uma necessidade que foi exposta pelos próprios profissionais da área.

?Eu assumi a gerência em junho e comecei a realizar reuniões com grupos de enfermeiros e técnicos e pude perceber que a necessidade mais citada por eles era de fazerem curso de aperfeiçoamento e devido à falta de tempo muitos não realizavam a atividade. Então resolvi fazer esse treinamento aqui mesmo no Hospital Mariano Castelo Branco?, disse Gabriela Matos.

O curso ?Atualização e Prática em Enfermagem? tem duração de 40 horas, distribuídas em nove encontros toda quarta-feira à tarde. Ao todo 25 profissionais participam do curso, que terá certificado de participação expedido pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). ?Iniciamos nossa atividade no dia 4 de julho e vamos encerrar dia 29 de agosto?, afirma a gerente de enfermagem Gabriela Matos.

O curso aborda os assuntos mais frequentes na prática hospitalar de um profissional de enfermagem, como administração de medicação, cuidados com o soro, prevenção de infecção, curativos, dentre outros.

Gabriela Matos informou ainda que a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) está sendo implantada no Hospital Mariano Castelo Branco e que o manual de Procedimentos Operacionais Padrão (POP) está em fase de conclusão na unidade hospitalar e que em breve divulgará os resultados das ações.

A SAE é uma atividade privativa do enfermeiro que norteia as atividades de toda a equipe de enfermagem, já que técnicos e auxiliares desempenham suas funções a partir da prescrição do enfermeiro. A SAE é composta por etapas inter-relacionadas, segundo a Lei 7498 de 25/6/86 (Lei do Exercício Profissional).

Fonte: Ascom/FMS